segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Curso da Coruja

Meus leitores queridos!
       No último sábado, 08/Setembro, fui agraciada com uma agradavel surpresa. Cheguei como sempre, no Estrela Cigana Espaço Holístico, e estava la, um grupo seleto e especial para participar do Grupo de estudos de um curso Inédito: "Os Mistérios da Coruja". Quando eu tive esta idéia, não sabia que podia trazer até o Espaço, um grupo que fez uma energia ímpar.
       Fiquei lá igual criança, toda falante, feliz, com as perguntas e curiosidades do Culto que os Ciganos fazem a este animal. Por isso coloco uma "palinha", para os que nao tiveram a oportunidade de estar conosco e aproveito a ocasiao para agradecer, meus filhotes Corujas.
      Pois estavam lá, Lindos, Participativos, e que me deram o grande  prazer de estar comigo naquelas abençoadas horas. Um beijo grande filhotes! A Coruja Mãe aqui, adorou abrir um portal, de Luz, Alegria, e Verdade com a ajuda de Voces! Uma Jornada Inesquecível!!!!!!

O Sacerdócio do Culto da Coruja
        A vocação para o sacerdócio – como lembram meus Phrales Corujas, a vida sacerdotal – é um dom e mistério! É o primeiro presente! Ninguém pode reclamar o direito de ser Coruja. O sacerdócio é um dom extraordinário do amor pela Magia.
        O sacerdócio corujal é também um mistério! É uma reunião secreta de duas liberdades: a liberdade para entrar, que chama, e a liberdade da pessoa que responde a este apelo. Muitas vezes, “chamou a si mesmo” não pode explicar até o fim em si, como aconteceu com ele, que descobriu e percebeu a vocação para o sacerdócio corujal. A vocação é, portanto, um dom e um mistério! Por uma entrada em uma Irmandade, é possível definir e descrever as verdades fundamentais que se aplicam a uma vocação para o sacerdócio.
        Por um lado podem definir-se os critérios básicos e sinais de o fato de uma pessoa ser chamada para ser membro. Finalmente, podemos descrever com precisão as funções relevantes que dizem respeito à essência de ser um sacerdote e a substância do ministério sacerdotal.
      A condição necessária para alcançar uma intimidade com a Magia da Coruja é não temer, e, assim, pode colocar em prática o plano que os Mistérios da Coruja tem para ele.
       Coruja é aquele que chama, e sua voz pode ser ouvida apenas no encontro direto com a magia. A amizade com as forças astrais é o desejo sincero de cumprir os mandamentos para a formação da consciência nobre no espírito do membro, e crescer no conhecimento da pessoa. Um profundo conhecimento é feito especialmente por meio dos Ritos, através das Vivencias, Lituanias, Pralenes, ou ainda através de Reuniões.
        Compreender que a realização do chamado da Coruja é gozar da felicidade e realização pessoal, o melhor caminho para a felicidade e alegria duradoura. Daí vem a certeza de estar disponível para a formação iniciatica dos Graus, com um coração puro, indiviso, aberto e responsável.
       Uma condição básica para uma preparação sincera e fecunda para o sacerdócio é o aprofundamento contínuo da amizade pessoal com a Magia.
       Deve-se atingir a maturidade evolutiva. O coruja é alguém que é um servo da magia; que reforça os nossos irmãos e irmãs na fé, na esperança e no amor. Por esta razão, o sacerdote (independente de Graus) deve ser maduro e forte. Pois o Caminho do Coruja é seguir nas Sociedades e Ordem da Tradição da Coruja, e por isso deve-se saber um pouco sobre estas sociedades.
      As Sociedades e Ordens em segredo começaram, nos primórdios, com a consangüinidade, esta determinou os primeiros grupos sociais; os clãs de parentescos aumentaram por associação. Os casamentos inter ordais foram o próximo passo para a amplificação dos grupos, e Clã resultante foi o primeiro verdadeiro corpo político. O próximo avanço, no desenvolvimento social, foi a evolução dos cultos religiosos e dos clubes políticos.
      Estes, inicialmente, surgiram como sociedades secretas, e originalmente, eram integralmente religiosos; posteriormente, eles tornaram-se reguladores. A princípio, eles eram clubes de homens; mais tarde, grupos femininos apareceram. E, em breve, eles dividiram-se em duas classes: a político-social e a místico-religiosa.

Motivos para o Segredo
Havia muitas razões para que essas primeiras sociedades fossem secretas, tais como:
• A finalidade de praticarem ritos religiosos minoritários.
• O propósito de preservar valiosos segredos do “espírito” ou do comércio.
• O desfrute de algum talismã ou magia especial.
       O fato em si, de serem secretas essas sociedades, conferia a todos os seus membros o poder do mistério. Os iniciados eram e são a aristocracia social magica. Depois da iniciação, ganhamos poder mágico, o que naturalmente nos faz diferentes, é assim desde os tempos da Lemúria até hoje.
     Hoje destas épocas temos as marcas ordais, feitas no corpo,  como uma parte da iniciação, a tatuagem teve a sua origem com essas insígnias de membro destas sociedades. Estas fortes iniciações, junto com alguma privação, tinham o intuito de endurecer esses jovens, de impressioná-los com a realidade da vida e das suas inevitáveis dificuldades. Esse propósito foi alcançado.
      No entanto, as sociedades secretas de fato visavam o aperfeiçoamento da moral; um dos propósitos principais das cerimônias nos aperfeiçoar como seres humanos, e pessoas da Magia.
      Seguindo disciplina rigorosa e aperfeiçoamento, as sociedades secretas contribuíram para a instauração das castas sociais, principalmente por causa do caráter misterioso das suas iniciações. Os membros dessas sociedades usavam máscaras de cara de Coruja (na Ordem da Tradição da Coruja, principalmente na Europa Latina, se usa até hoje, onde diga-se de passagem, a maioria dos participantes são ciganos) inicialmente, para afastar os curiosos dos seus rituais de Força Animal.
       Mais tarde, esse ritual transformou-se. As antigas sociedades de “renascimento” usam emblemas e empregam uma linguagem secreta especial; e também renegavam certas comidas e bebidas, em alguns rituais.
     Todas impunham um juramento, o guardar do silêncio, e ensinavam a guardar os segredos.
       Pouco a pouco, essas associações secretas transformaram-se nas primeiras organizações filantrópicas e, posteriormente, nas primeiras sociedades religiosas, as precursoras das igrejas. Finalmente, algumas dessas sociedades tornaram-se inter-ordais, formando as primeiras fraternidades internacionais.

Para saber mais....

3 comentários:

Luz13 disse...

Conheci o Povo Cigano com Aline, da Cidade das Pirâmides e, tenho um respeito e gratidão enorme a eles e a Cigana Shalimar!!
Vocês conhecem o Programa De Olho No Mundo?(www.deolhonomundo.com) Aline em seu programa analisa a essência humana, o mundo, astrologia, fenômenos ocultos..., em sua plenitude. Tenho certeza que vocês gostarão. Abçs.

bipolarcentrada disse...

Ramona, conversamos há tempos atrás, sou a Samara, aqui do Sul. Não entrava no seu blog há tempos. O tempo girou, estou sendo iniciada por uma kalin daqui e uso a coruja como animal de poder há tempos... É tão fantástico tudo! Que Deus e Santa Sara te abençoem. Sigo lendo!

bipolarcentrada disse...

Ah, sim! O nosso contato foi em outubro de 2010 e eu me apresentei como Laila, na época. Samara é meu nome de batismo e o link é do meu blog pessoal. Volto a te adicionar nos meus favoritos. Gratidão!