terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Vurda Trijda - Soc. Secreta dos Ciganos do Deserto


Bem depois de muito perguntar (pedi a cerca de uns 40), um barô que mora em Santiago (Chile) resolveu acreditar e me passar as informações basicas.

Por ser uma Sociedade Secreta, consegui informações, claro que adorei obter, mais o que me incomodou, foi a dificuldade de não encontrar nenhum "Trijdeiro" assumido, por nossa cultura ser muito machista, ninguem quis se revelar.

Quem for escolhido pelo astral ou convidado terá muitos obstaculos a enfrentar. Ao longo do tempo isso será contestado por diversos ciganos de sangue, que negarão a existencia da fraternidade, pois dirão que o chancelamento tera que ser feito por um cigano, dou esta informação porque sou somente o meio e não a dona da informção, que na verdade não pertence a ninguem de carne e osso.

As mulheres que são admitidas na Vurda, não tem nenhum contato sexual com ninguem, o que são casos raros, mais existem. Fiz milagre sendo mulher, levantar isso tudo, mas acredito que isso so aconteceu, porque assim foi determinado.

As diretrizes são:

Nome: Vurda Trijda – Fraternidade: O Terceiro Clã (muito encontrada em paises mouros e deserticos, por isso o negro)

Forças conduzentes: Magia de Wladimir, São Joao Batista (padroeiro da magia cigana dos homens) e Magos de Alta Magia.

Iniciatica em 8 graus - cada grau conta com 90 dias de estudos, com encontros para tirar duvidas entre os responsaveis que estao a frente da Frtaernidade.

1° Grau
Denominação - Mago Convidado
Estudos sobre Ocultismo, Elementais, Pedras, Essencias, Incensos, Orações e Novenas em Geral.

2° Grau
Denominação – Neófito
Historia das religioes e magia em geral.

3° Grau
Denominação - Aprendiz I
Aprendizado sobre os arquétipos, Vida Espiritual na Vida Pratica e o uso dos Sincretismos.

4° Grau
Denominação - Aprendiz II
Astrologia de Caldeus – Tarot - Oraculos Ciganos Masculinos.

5° Grau
Denominação - Médium
Estudos sobre as liturgias das Sociedade Secretas e Religiosidade dos Ciganos.

6° Grau
Denominação - Trabalhador
Estudos da Mediunidade.

7° Grau
Denominação - Sacerdote
Ética, Imparcialidade e Atendimento Espiritual.

8° Grau
Sacerdocio
Consagração da Mago (não consegui saber como é) - Agora Sacerdote

Obs - Os estudos dos graus são feitos em individualmente e os ritos terão horas marcadas e de forma autonoma.

As Fraternidades tem encontros mensais.

So podem iniciar outros magos, apos a confirmação do sacerdocio. Os convites a outras pessoas, devem ser aprovados pelos mestres espirituais.

Fazem de 3 em 3 meses (pos confirmaçao). Um trabalho de atendimento espiritual (como jogos, aconselhamento, passes). Onde tentam resolver os problemas que afligem os confrades, possivelmente apos avaliação convidam outros magos para este cerimonial, mesmo que nao sejam iniciados dentro da ordem.

Fazem 1 encontro semestral ritualistico para consagração de outros "Trijideiros" como chamam, é um cerimonial com uma parte aberta aos convidados como na maçonaria e outras ordens, mais a consagração será secreta e cada iniciado tem um padrinho.

Usam indumentaria toda negra, incluindo o turbante amarrado a moda dos tuaregs. Usam colar identificatorio com medalhao, onde consta simbolos astrologicos e uma desenho de rosa no meio (seria a luz da rosa negra) e tambem um anel com um simbolo que somente é revelado aos sacerdotes na consagração.

Usam espada ou florete nos trabalhos espirituais e o simbolo do infinito.

Cada Trijdeiro consagrado pode dar iniciação a outros, desde que o postulante realmente puder ser confrade.

Os ritos escolhidos escolhidos em conjunto para cada iniciação, não sao padrão. Tudo é consultado e decidido pelas sacerdotes, responsaveis pela fraternidade.

Apos tres anos da fraternidade, é avaliado a missão que foi dada e pode ser trocado, refomulado, os tipos de magia e estudos de cada grau.

Ramona Torres - Kallin Evoriana
Oraculista / Escritora - Kalinata iniciada no Khérthia Drom em 1973.
Membro dos Clas de Magia Evoriana
Membro do Circulo de Escritores Ciganos da Ramasordé Romani.

Artigo informativo escrito entre os anos de jan/2005 e set 2008. Com o auxilio precioso dos Clas Kalon, Kalderash, Louvara, Rudari e os Boyasha residentes no Balneário de Penha em Santa Catarina.

Agradecimentos para que isso pudesse ser postado em especial para: Lívio Espaninho, Luca Ianovith, Juan Janna, Julio Stancovisth, Manoela Cidron, Sula Varam, Margarida Veras e Tikito Maio.







quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Cigana das Rosas Vermelhas

Ilarim, a mulher de minha vida!!!!!
Bem gente desde sempre, eu soube quem eu tinha como companheira na estrada desta doce vida, desde que eu tinha 15 anos, ela se manifestou, trazendo uma grande alegria para mim, e eu nem sabia nada dela ainda. Fui aprendendo aos poucos sobre ela e sua vida passada. Aos poucos ela foi me contando com aquele jeito de quem conta uma historia distante, e linda.
Ainda que cheia de sofrimentos ela nunca falou de forma sisuda, sempre com aquele jeito brejeiro, e sempre rodeada e pedindo rosas vermelhas.

Me disse que era natural da Espanha Moura, de Málaga na Andaluzia, mas viveu boa parte de sua vida ao Leste, recebendo pela proximidade,uma influencia bastante Portuguesa. Sua família era tradicional no comercio de jóias, eram bedónis que se fizeram bastante presentes em toda a Andaluzia. Ela tinha o mesmo jeito brejeiro que tem hoje, mas com uma visão “extra” que assustava ate mesmo os que não queriam crer no que ela dizia. Ela tinha uma ligação muito forte com os anjos e arcanjos, mesmo sem ninguém ter ensinado. Adormecia pessoas, descobria segredos, fazia aparecer objetos perdidos.

Não foi iniciada nos ritos tradicionais do “Khértia Drom” e nem no “Roti Diena”, foi autorizada pelo Barô assim, foi considerada um Latatcho (que em Romani, quer dizer “aquele que nasce pronto”, e participava de todas as iniciações como preletora. Sendo que nos primórdios, colocou alguns ensinamentos nestes ritos que abrilhantaram ainda mais a vida de quem se submeteu a eles. Sendo o Roti Diena praticamente aperfeiçoado por ela. Como até hoje este é um dos ritos mais difíceis de se executar (pois existem poucos habilitados que também passaram por isso nos acampamentos, para isso), ela trouxe para o primordial Roti, Vida!

Seus poderes eram muito mentais, muito falante e meiga, tratava todos com muito carinho, mas buscava incessantemente saber o que ia dentro de cada um. Sendo assim e como sempre acontece, veio até ela de muito longe um Joneshti, um moldovio, para ser iniciado no Roti Diena, ela se encantou logo que o viu! Lembrando dos olhos dele. Logo viu que aquele aquele cigano podia bem traze-la na palma da mão, ele não foi indiferente, embora preocupava-se com o rito para o qual viera de tão longe, ficou encantado sabendo-a proibida.

Tentaram muitas vezes fugir daquele sentimento, fugir daquele amor, que consumia, que matava, um dia ele foi ate o Barô, e pediu audiência. Disse-lhe que aquela mulher era tudo o que ele mais queria na vida! O Barô se assustou com a intensidade dos sentimentos do rapaz, mas consentiu contra todos e contra todos os princípios religiosos de nossa raça.

Eles se encontraram e se amaram. Foi algo fulminante, ela se virou de costas para dizer não, mas não conseguia sair do lugar e ele começou a desnuda-la e a amou. Ela correspondeu. Mas o compromisso com o espiritual fez-la culpada, ela chorou. Ele entendeu que deveria se retirar da kumpania, mesmo com seus ritos incompletos. A Pury do Clã, disse-lhe termine, saia da tsara somente para o necessário, não se atenha na palavra, ou seja não fale. Termine, pois o Roti, so é feito de 21 em 21 anos, considerando que vens de longe para isso, e deixe que Ilarim siga o seu coração.

Ilarim seguiu, inconformada por ter que abrir mão do sentimento que buscou a vida inteira. Foi ate Coimbra e pediu abrigo nas kumpanias de lá. Buscou auxilio na luz e consolou-se em saber que era amada. Mesmo sem ter como viver esse amor. Começou a andar pelos campos, pelos roseirais portugueses, trabalhando sempre com amor, com as rosas vermelhas. Se fez mestra no aconselhar no que não se pode ser. Mas aquele amor, não passava. Entre o amor e os espíritos, a missão espiritual, ela sempre optava pelos espíritos. Mesmo sofrida, sorria. Continuava a ministrar os ritos do Roti Diena com o mesmo amor e empenho. Um dia quando não mais pensava nisso, surgiu o Moldovio, voltou dizendo: Ilarim, confio em ti, não tive sossego, nem dormi, nem comi, não andei, nem vivi, porque pensava em ti, se é pecado, se é proibido, eu te quero mesmo assim, não lhe tiro de minha mente, a não ser que tu não me queira! Disse gritando e caiu. Ela o socorreu e o Barô disse: Vai Ilarim, já deste tua vida e mocidade aos espíritos, vai viver, vai ser feliz!

Após isso, Ilarim foi e viveram muito felizes, embora apesar deste teste, ela nunca teve duvidas entre o amor e os espíritos, não há o que escolher, pois os espíritos são minha vida! O Moldovio entendeu e passou a auxilia-la em tudo o que era pela vida espiritual. Eles passaram no teste. Hoje Ilarim e Danzo, estão sempre a preparar pessoas no “Khértia Drom” e no “Roti Diena”, sendo que o maior ensinamento que eles passam é nunca duvidar da vida espiritual e aceitar o que vier, pois os espíritos sabem o que é melhor pra nós.
Eles são os pratronos destes ritos.

Ela sempre trabalha com a braçada de rosas vermelhas, pois esta simboliza o amor. E é isso que Ilarim quer espalhar o Amor e o Crer para ver!
Seu principal ditado é: Creia antes de pedir!

domingo, 20 de dezembro de 2009

NATAL.



Quando chega o natal, muita coisa vem ate nossa mente. Lembranças, fagulhas, ritos, tudo o que a gente passou, vem como numa espécie de rememoração e reavaliação do que passou. Eu não me lembro dos primeiros natais, lembro mais ou menos a partir dos sete anos, pode ser que seja mais ou menos, não sei.
Nesta época morávamos, no que se chamava Matão Real e hoje se chama Bathã, beirando a avenida Brasil em Realengo. Naquela época, minha tia avó Dorinha, já morava em casa, e íamos todos para a casa dela. Guardávamos nossos melhores trajes, e íamos para o grande quintal, onde tinha 3 casas e varias barracas. Chegando lá, tinha todos os pratos tradicionais, mais o que mais me lembro, eram as “porcarias”, que nem sei se as crianças curtem hoje, eu amava, coquinhos e afins, assim como a tradicional castanha portuguesa que não pode faltar na casa de um evoriano.
Era uma festa! Minha tia, ainda djulli, colocando discos na vitrola recém comprada, e meu tio implicando, porque queria que os violões entrassem em ação, rs rs sr................ Logo, logo o som dos violões no grande quintal, ecoava. Musicas, como lutsari, gary, gary, ou lisboa querida compartilhavam com musicas nordestina, ao sabor do matchatcho, suiy, mol, lovina, e delicias. Eu era muito tímida, dançava um pouco, falava pouco.
O natal era mais para ver aquela nossa gente dividindo tudo. Mia Bibi, de fardisara cor de abóbora, mia madra de cordis verde, e aquela sensação de que Cristo, era um cara que so os mais velhos conheceram quando ele era vivo.
Hoje vejo os festins, corre corre nos mercantis, shoppings, presentes, para nós ciganos, não tem nada disso. Não nos preocupamos com esta parte.
O Natal cigano é conhecido como sendo uma festa em grande, cujas comemorações, semelhantemente aos casamentos, podem chegar a prolongar-se por três dias. Mas nem em todos os grupos são assim.
À semelhança do que acontece nas casas não-ciganas, onde o bacalhau cozido com couves e batatas constitui a refeição tradicional da noite de Cristo.
“À mesa” como dizemos, é posta, porque no Natal “pomos nossa mesa” no chão, sobre uma toalha branca, como manda a tradição. Para a comunidade o Natal tem o mesmo significado que para os restantes cristãos, mas muito mais importância. Para nós, esta é a época mais importante do ano, razão porque é habitual viverem-na intensamente, numa festa em grande que, frequentemente, chega para desfazer atritos e outros males que se fizeram presentes durante o ano.
Saliente-se, no entanto, que a dimensão das comemorações está relacionada com as posses dos diferentes grupos. A simplicidade da festa aumenta na mesma proporção em que diminuem os recursos de cada família. “Quem tem comer, come. Quem não tem, não come”.
Na casa dos ciganos “ricos” mas que ainda mantêm vivas as tradições normalmente comem o que se vende nas feiras -, é costume a festa começar no dia 23 de Dezembro e estender-se até ao dia 25, dia de Natal. A mesa farta é um dos requisitos da época, pelo que a confecção dos diferentes pratos nos aprisionam durante horas na cozinha. Para além do bacalhau cozido, com couves e batatas, já referido, não falta igualmente o bolinho de bacah e as frutas. No dia de Natal, as mesas enchem-se com cabrito assado e batata assada, carne guisada com batata cozida, galinhas cozidas, grão de bico, saladas de fruta e pudins. Iguarias destinadas não só aos convidados, como também a todos os que quiserem aparecer. É habitual os ciganos andarem de casa em casa, de barraca em barraca, e apanhar um bocado em cada mesa, a pedirem a benção ao cigano mais velho.
E se tratando de nós, festeiros como somos, tudo isso regado a sempre uma boa musica!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Banhos para o AMOR!!!!!!!!!!!!!!


Banho Atrativo de Amor

Melhor dia: sexta-feira ( homem ), terça-feira ( mulher)
Melhor Lua: cheia
Material necessário: * 1 maçã cortada em 7 pedaços * 1 punhado de cravos da índia * 3 colheres de mel * 7 gotas de óleo essencial de jasmim * 7 gotas de óleo essencial rosas * 7 gotas de óleo essencial de verbena * 6 pedaços de canela em pau * 3 anis estrelado * raspas da casca de uma laranja * o caldeirão do altar com água.
Procedimento: coloque o caldeirão no fogo com todo os ingredientes mencionados. Esfregue suas mãos uma nas outras e quando sentir que elas estão esquentando, coloque-as um pouco acima da borda do caldeirão, feche os olhos e diga o seguinte encanto: “Oh, Dama Dourada Deusa toda poderosa, Honro o seu amor, oh formosa. Conceda-me um amor apropriado, Que pelas estrelas ele me seja enviado. Deusa da Lua, Um desejo arde em meu coração. Traga-me o amor na hora certa e com perfeição. Pelo poder do 3 vezes o 3, que assim seja, E que assim se faça!” Deixe o banho ferver. Quando isto ocorrer, apague o fogo e espere a infusão esfriar. Coe-o e após tomar um banho normal, despeje este banho mágico da cabeça aos pés, mentalizando felicidades no amor.

Santo Antonio - Nosso amigo do coração!



Santo Antonio: o amigo nas causas do coração - Protetor dos pobres, o auxílio na busca de objetos ou pessoas perdidas, o amigo nas causas do coração. Assim é Santo Antônio de Pádua, frei franciscano português, que trocou o conforto de uma abastada família burguesa pela vida religiosa. Contam os livros que o santo nasceu em Lisboa, em 15 de agosto de 1195, e recebeu no batismo o nome de Fernando. Ele era o único herdeiro de Martinho, nobre pertencente ao clã dos Bulhões y Taveira de Azevedo.

Graças à sua dedicação aos humildes, Santo Antônio foi eleito pelo povo o protetor dos desvalidos. Transformou-se num dos filhos mais amados da Igreja, um porto seguro a qual todos – sem exceção – podem recorrer. Miscigenado com outras culturas (nomeadamente afro-brasileiras e indo-portuguesas), Santo Antônio tornou-se um dos santos de maior devoção de todos os povos e é sem dúvida o primeiro português com projeção universal. De Lisboa ou de Pádua, é por excelência o Santo "milagreiro", "casamenteiro", do "responso" e do Menino Jesus.

Pouco antes de falecer, foi morar com seus irmãos franciscanos, perto de Pádua, no convento de Arcella, em Camposampiero. Nesse lugar retirado, a pedido do Cardeal de Óstia, dedicou-se a escrever os sermões das festas dos grandes santos e de todos os domingos do ano. Mas sempre saia para pregações, por exemplo, durante a Quaresma, até ser vitimado, por uma hidropisia maligna, na sexta-feira, de 13 de junho de 1231. Daí a origem do seu dia.

Foi tanta a repercussão de sua morte e tantos os milagres, que, onze meses depois, foi canonizado pelo Papa Gregório IX. Em 1263, quando seu corpo foi exumado, sua língua estava intacta e continua assim até hoje, numa redoma de vidro, na Basílica de Santo Antônio, em Pádua, onde estão seus restos mortais. Mais tarde, em 1934, foi declarado Padroeiro de Portugal. E em 1946, o Papa Pio XII proclamou Santo Antônio ‘Doutor da Igreja’, com o título de ‘Doutor Evangélico’.
Oração para os namorados
Meu grande amigo Santo Antônio, tu que és o protetor dos namorados, olha para mim, para a minha vida, para os meus anseios.

Defende-me dos perigos, afasta de mim os fracassos, as desilusões, os desencantos.

Faze que eu seja realista, confiante, digna e alegre.

Que eu encontre um namorado que me agrade,
seja trabalhador, virtuoso e responsável.

Que eu saiba caminhar para o futuro e para a vida a dois com as disposições de quem recebeu de Deus uma vocação sagrada e um dever social.

Que meu namoro seja feliz e meu amor sem medidas.

Que todos os namorados busquem a mútua compreensão, a comunhão de vida e o crescimento na fé.

Assim seja

Simpatias de Santo Antonio
Conhecido, carinhosamente, como Antoninho, Santo Antônio tem fama de casamenteiro. Dizem que as simpatias evocadas em seu nome dão certo. Claro que tudo isso faz parte das superstições bem características do povo brasileiro. Talvez pela mistura de raças e crenças, não sabemos, mas a posição que temos diante dessas brincadeiras, vamos chamar assim, é a grande necessidade das pessoas conseguirem uma fórmula para tudo na vida.

1 – Quem deseja descobrir o nome do futuro companheiro deve comprar um facão e, à meia-noite do dia 12 de junho, cravá-lo numa bananeira. O líquido que escorrer da planta deve formar a letra do futuro amor.

2 – Uma das mais antigas tradições diz que, para descobrir o futuro companheiro, é preciso escrever os nomes dos candidatos em vários papéis. Um deles deve ser deixado em branco. À meia-noite do dia 12 de junho, eles devem ser colocados em cima de um prato com água, que passará a madrugada ao relento. No dia seguinte, o que estiver mais aberto indicará o escolhido.

3 – Aqueles que têm pressa em arranjar um namorado devem comprar uma pequena imagem do santo. E para agilizar a conquista do pedido, fazer dois procedimentos: tirar o Menino Jesus do colo do religioso, dizendo que só devolverá quando conseguir um namorado, ou ainda, virar o Santo Antônio de cabeça para baixo.

4 – O mais afoito tem ainda outro recurso. Deve ir a um casamento e dar de presente aos noivos uma imagem de Santo Antônio, sem o Menino Jesus. Depois, pedir no altar para se casar com alguém, especial ou não. Assim que a graça for alcançada, deve retornar à igreja e lá depositar a imagem do Menino Jesus.

5 – Os que já estão acompanhados, mas ainda não subiram no altar, também possuem práticas específicas. A pessoa deve amarrar um fio de cabelo seu ao do namorado. Eles devem ser colocados aos pés do santo, que, logo, logo, resolve a questão.

6 – À meia-noite do dia 12 de junho, quebre um ovo dentro de um copo com água e o coloque no sereno. No dia seguinte, interprete o desenho que se formou. Se aparecer algo semelhante a um vestido de noiva, véu ou grinalda, o casamento está próximo.

7 – Para a pessoa saber se o futuro companheiro será jovem ou mais velho, é preciso arranjar um ramo de pimenteira. De olhos fechados, ela deve pegar uma das pimenteiras. Se a escolhida for verde, ele será jovem. Caso contrário, o casamento acontecerá com alguém de idade avançada.

8 – A tradição popular acredita que há uma forma especial de fazer as pazes entre casais brigados. Para isso, é preciso um cravo e uma rosa. Os talos devem ser amarrados juntos com uma fita verde, na qual serão dados 13 nós. Durante o procedimento, o devoto deve pensar que Santo Antônio vai uni-los outra vez.

9 – Para descobrir se falta muitos anos para a grande data, na véspera do dia 13 de junho, à meia-noite, amarre uma aliança – que pode ser de qualquer parente – numa linha ou num fio. Coloque um copo sobre a mesa e segure o fio de modo que a aliança esteja dentro do copo. Pergunte, então, quantos anos faltam para o casório. O número de batidas informa quantos anos ainda restam para o Dia D.

Bonequinhos do Amor!



Como preparar o bonequinho e suas finalidades

Como o Boneco é preparado:

Geralmente estes bonecos são feitos em cera e encontrados em qualquer casa de umbanda para se comprar. Há pessoas que fazem de massa de modelar, biscuit, etc. Mas, eu, particularmente, considero melhor, a pessoa tendo a oportunidade fazer o bonequinho de pano de preferência com uma peça de roupa da pessoa usada sem lavar. No lugar do rosto colar uma foto 3x4 ou recortada. Deve-se também quando possível colocar dentro do boneco um, três ou sete fios de cabelo da pessoa, ou pestanas ou unhas. Principalmente em casos de amarração. Neste caso também se possível pode-se colocar o sêmem da pessoa colhido anteriormente num pedaço de linho branco virgem. Enfim, quanto mais vínculos energéticos da pessoa o boneco tiver melhor. As assinaturas das pessoas também são vínculos fortes e podem ser inseridas dentro dos bonecos.
O boneco representando a própria pessoa que vai enfeitiçar também deve ter estes vínculos.
Outro fator muito importante e que não é citado nos livros, talvez por precaução dos antigos magos é que o boneco deve se batizado com o nome da pessoa a ser enfeitiçada. Caso o feiticeiro seja a própria pessoa que está realizando o feitiço então não é necessário batizar o seu boneco representante, mas se estiver fazendo feitiço para outra pessoa sim.

Como deve ser o batismo do boneco:

Antes de realizar o batismo a pessoa deve se preparar pelo menos uma semana a fim de estar livre de impurezas astrais. Neste período a pessoa não deve comer carne, nem tomar álcool, fumar ou usar drogas, deve meditar todos os dias e fazer exercícios de equilíbrio dos chackras, manter-se longe de pensamentos e atos negativos. Deve também manter-se um pouco isolada de contatos sociais – exceto se esse for o seu trabalho, claro.
O boneco deve ser batizado com água benta de igreja – basta ir a uma igreja qualquer e pedir com uma desculpa qualquer de levar para uma pessoa enferma da família.
No dia do batismo antes de realizá-lo a pessoa deve tomar um banho como de costume e em seguida um banho de sal grosso para descarregar. Deve vestir-se de branco e certificar-se de estar em um local onde não será interrompido. Não esquecer de desligar, celulares, campainhas, etc.
O batismo deve ser realizado como na igreja em que a pessoa a ser enfeitiçada foi batizada.

Exemplo de batismo na igreja católica:

(Isto é só um exemplo a pessoa pode fazer do modo que achar melhor.)

Deve-se colocar o incenso para queimar. (mirra)

Concentre-se um instante até estar preparado, devidamente concentrado para a realização da cerimônia de batismo.

Quando estiver pronto deve dizer as seguintes palavras:
"(Nome completo da pessoa), eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".
Então deve-se jogar a água benta na cabeça do boneco e em seguida deve-se ungir a testa do boneco com o óleo previamente consagrado, fazendo o sinal da cruz três vezes.
Rezar o pai nosso.
Pronto o boneco está pronto para ser usado. Porém o mesmo só deve ser usado depois de passada as 24 hrs do batismo.
Como usar o boneco para fins amorosos

É muito comum o uso dos bonecos de vodu para se fazer uma amarração de homem ou mulher. Porém neste caso há certa variação.
Faz se o boneco normalmente como explicado acima, quanto mais vínculos com a pessoa o boneco tiver melhor. Neste caso de amor em especial se possível deve-se colocar o sêmem da pessoa previamente colhido num pedaço de linho branco virgem.
Siga os ensinamentos anteriores, mas ao pregar os pregos ou espetar as agulhas diga:
• Na cabeça: Ao pregar diga (nome da Pessoa), eu (seu nome) te prego e amarro e espeto o teu corpo, tal qual espeto, amarro e prego a tua figura.
• No peito: Ao pregar diga (nome da Pessoa), eu te juro debaixo do poder de (entidade escolhida) que de hoje em diante não hás de ter um só momento de sossego enquanto não estiveres comigo, me amando e me possuindo como mulher e companheira. Ou marido e companheiro.
• Na barriga: Ao pregar diga (nome da Pessoa), eu te juro debaixo do poder da magia negra que de hoje em diante não poderás comer, nem beber, nem dormir, nem trabalhar enquanto não vieres até mim realizar meus desejos e vontades. (aqui pode-se dizer o que se deseja – case comigo, fique comigo, etc.)
• Nas pernas: Ao pregar diga (nome da Pessoa), eu (seu nome) te juro debaixo do poder de (entidade feminina escolhida) que de hoje em diante ficarás preso a mim por correntes inquebrantáveis e não terás outra alternativa a não ser obedecer a minha vontade que é....
• Nos pés: Ao pregar diga (nome da Pessoa), eu te prendo e amarro da cabeça aos pés pelo poder da Magia Ancestral.

Neste caso amarra os bonecos um ao outro com 7 metros de fita vermelha, enrolados ao redor do corpo de ambos e em seguida com 7 nós.

Advertências

• Esta magia ou malefício só tem poder de duração de no máximo sete anos podendo ser desmanchada por pessoa experiente. Por isso é imprescindível que absolutamente ninguém saiba que a mesma foi executada a fim de que o enfeitiçado não desconfie ou qualquer pessoa ligada a ele que deseje livrá-lo de tal encantamento.
• Somente o fato de o enfeitiçado descobrir o encantamento o mesmo já perde parte de seu efeito.
• Se a pessoa for um mago ou uma pessoa muito religiosa que tenha certa proteção deve-se escolher um momento em que se tenha certeza que a pessoa esteja dormindo e, portanto mais vulnerável.
• Deve-se fazer uma oferenda às entidades ligadas ao trabalho.

Depois de muitos pedidos, resolvi publicar. Pense bem antes de fazer, é forte.


Para desmanchar trabalho feito para seu amor

Quando você notar que seu marido está estranho na cama, não comparecendo como antes ou fazendo amor sem emoção alguma, quase como uma obrigação, pode ser que tenha uma outra mulher nessa história armando algum trabalho para tomá-lo de você.
Não facilite com essas coisas. Aja com rapidez. Numa segunda-feira, compre um prato de barro, forre-o com tecido branco de seda, cetim ou tenda, encha-o de frutas e coloque-o sobre a mesa.
Quando seu amor retirar uma fruta de lá, imediatamente retire todas as frutas que estão lá e guarde-as. Coloque no lugar delas uma porção do salgadinho que ele mais gosta e faça a mesma coisa. Quando ele tirar um salgadinho, retire todos e coloque os doces que ele mais gosta. Quando ele comer um, retire tudo de novo e junte com as frutas e os salgadinhos.
Coloque tudo dentro de um saco plástico e leve para um canto de muro ou de cerca. Abra um buraco fundo e enterre isso. Coloque uma pedra pesada por cima e sobre a pedra acenda três velas vermelhas. Quando acender cada vela, repita três vezes para cada uma as orações seguintes:
• 1° vela: “Desta fruta ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém pegará”.
• 2° vela: “Deste salgado ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém tocará.”
• 3° vela: ”Deste doce ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém lamberá”.

Nunca mais repita esta magia. É muito importante que ele ou qualquer uma outra pessoa jamais saiba que você fez esta magia, mesmo que vocês, no futuro, venham a se separar por sua vontade.

Estrela Cigana



P/ OS QUE NÃO CONSEGUIRAM VAGA,OU DE ALGUMA FORMA NÃO PUDERAM IR...MAIS UMA CHANCE!!!

*****ESTRELA CIGANA ESPAÇO HOLÍSTICO*****

PREPARAÇÃO ESPIRITUAL DA LINHA CIGANA P/ 2010
Palestrante:Ramona Torres

CONTEÚDO DA PALESTRA:

#CIGANO REGENTE DE 2010

#MAGIAS DE PROSPERIDADE P/ 2010

#COMO TRATAR DA SUA CIGANA

#COMO ENCONTRAR SEU AMOR
---------------------------------------------
DATA:16/12

VALOR:30,00

HORÁRIOS:14:00 AS 16:00
LOCAL:ESTRELA CIGANA ESPAÇO HOLÍSTICO
CASCADURA-RJ
TEL:3471-2114(ELIS)

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Como Encontrar seu Amor em 2010



Talvez você se surpreenda com o fato de não se poder afirmar que um relacionamento é feliz ou infeliz apenas sabendo se coisas boas ou ruins estão acontecendo a um casal. Pense nisso.
Muitas pessoas em relacionamentos sólidos e estimulantes estão sofrendo algum tipo de dificuldade na vida, enquanto pessoas que parecem ter tudo que se poderia desejar encontram-se em relacionamentos que estão desmoronando.A diferença não está nas circunstâncias, mas na qualidade de ligação que existe entre os parceiros.As pessoas que mantêm relações saudáveis dividem tudo o que acontece, seja de bom ou ruim, com seus parceiros. Não esconda suas emoções - nenhuma delas.
Ao compartilhar sua realidade, você estará compartilhando a sua vida, e os laços que se formarão durante este processo serão uma preciosa ajuda para enfrentar qualquer problema.As pessoas precisam sentir-se amadas. E quase todas acreditam que os relacionamentos amorosos irão preencher essa necessidade. Mas, se não estiver feliz com você, se não gostar de você, nenhum relacionamento irá mudar isso e você terá dificuldades para manter relacionamentos saudáveis.Os seres humanos tendem a formar hábitos.
Nós repetimos os mesmos comportamentos inúmeras vezes, em geral sem pensar ou refletir. É por isso que compramos o mesmo sabão em pó sem pesquisar as vantagens de outras marcas. É também por isso que tendemos a repetir inúmeras vezes o mesmo comportamento em nossas relações.Relacionamentos dependem de comunicação, todos nós sabemos disso. E comunicação significativa exige confiabilidade. Suas palavras precisam ter significado e coerência com suas ações.
Expresse-se com clareza e faça o que diz que vai fazer. Sempre. Se agir assim, terá dado um enorme passo em direção a relacionamentos positivos.
O amor ideal
Os homens geralmente querem uma mulher doce, meiga, sensível, terna, submissa, dependente; as mulheres, desejam um homem forte, enérgico, objetivo, empreendedor. Esses estereótipos masculino/feminino são tão comuns na nossa sociedade que se reproduzem até nos relacionamentos entre casais homossexuais, onde um deles assume o papel masculino e o outro parceiro o papel feminino. Isso porque fomos criados numa cultura que presume haver apenas esse padrão dual de relacionamento.
Quanto mais incompletos somos, ou nos sentimos, mais ciumentos e mais possessivos nos mostramos.
Na tentativa de nos completarmos, procuramos modificar nosso parceiro para que ele apresente qualidades que nos faltam, que ele às vezes não tem, e pelas quais ansiamos e ele, por ser também carente e incompleto, faz o nosso jogo e começa a aparentar qualidades que não possui. Desenvolvemos também uma capacidade impressionante de descobrir o que falta ao outro e tentamos assumir essas qualidades, mesmo que não as tenhamos. Ao olhos do nosso parceiro de paixão - ou de desventura? - passamos duplamente por quem não somos: uma vez sem saber, quando procuramos nele qualidades que temos, mas não sabemos que temos; e outra vez conscientemente, quando representamos qualidades que não temos para que ele, que precisa delas, as encontre em nós.
Os ensinamentos da paixão
A forma como nos relacionamos com os outros afetivamente nos ensina muito sobre nós mesmo, assim como acontece quando adoecemos. Quando temos uma doença qualquer, como uma doença cardíaca, aprendemos que nos faltava exercício físico, que deveríamos ter estabelecido há mais tempo uma alimentação equilibrada e que estaríamos melhor hoje se tivéssemos reduzido o cigarro.
Com a paixão, aprendemos também o que está nos faltando: é só escrever, em qualquer ordem, ou da forma que vier à nossa mente, quais as coisas que desejamos num amante ideal. Faça isso agora. Quando terminar, você terá acabado de descrever o resto de si mesmo, e que só em si mesmo você poderá encontrar.
À procura de nós mesmos
A procura do eu inteiro, completo, poderá ser tão excitante e inebriante quanto a paixão. E com um final bem mais feliz: a outra metade de nós mesmos que jaz sepultada nas nossas camadas mais profundas, uma vez encontrada e incorporada ao que já temos, jamais irá nos abandonar.
Nesse novo contexto, o sexo passa a ser visto de forma diferente. Sim, porque para apreciar uma pessoa inteira, plena - um homem sensível e terno, uma mulher forte e decidida - precisaremos fugir aos comportamentos estereotipados que privilegiam o sexo em detrimento da intimidade, e que transformam a aventura amorosa em "conquista" fazendo-nos perder imediatamente o interesse pelo parceiro tão logo a conquista tenha sido bem sucedida.
Uma vez inteiros e completos, estamos livres para nos relacionar à vontade com quaisquer pessoas, de preferência também inteiras, também completas. Teremos nos livrado da posse, do ciúme, do medo, da insegurança. E para nos mantermos fiéis a essas novas idéias, precisamos abrir mão da necessidade de exclusividade na relação, sendo essa talvez a mudança mais difícil pela qual temos de passar.
O interessante a esse respeito é que, apesar de vivermos defendendo a monogamia e a fidelidade, transgredimos constantemente essas regras nos nossos relacionamentos. Não é isso o que interessa. Quem transgride as regras é apenas um transgressor. O que importa é não aceitar essas regras, e forjar outras. Esse sim, é um comportamento revolucionário, transformador.

Pote Cigano


POTES PARA AMOR, PROSPERIDADE E INTUIÇÃO

Quando falamos de “Potes” significam um tipo de imantação de energias para um determinado fim. Não considero assentamento isto não ocorre com as energias deste Povo. Através das magias usadas a muito por meu povo, fazemos estes chamados “Potes” para ter estes bons espíritos sempre perto de nós.
O primeiro que vou ensinar é o Pote Cigano, é o principal Pote, feito nas Tsaras, ele serve para fazer amizades, segurar olho grande, atrair dinheiro e sorte, para as buenas-dichas, atraem clientes e também trazem intuição.

POTE CIGANO

Material:
Ele só poderá ser feito em lua cheia, sábado, antes das 18 horas.
1 Tacho de cobre grande ou vidro com tampa (tipo bomboniere ou compoteira grande).
1 Metro de lamê cor de ouro
3 Perfumes de rosas, sândalo e jasmim
1 Ferradura usada aberta
1 Vela de mel
1 Vela de cera de abelha
1 Punhal com pedra de qualquer cor
7 Moedas estrangeiras, de preferência antigas.
7 Moedas atuais, de preferência dourada
1 Jóia de ouro
1 Jóia de prata
7 Flores de trigo
100 Gramas de canjica branca
100 Gramas de lentilha
100 Gramas de feijão fradinho
100 Gramas de girassol
100 Gramas de milho amarelo de galinha
1 Kl de arroz com casca
1 Imã
Limalha de ferro
1 Cristal de quartzo branco
1 Cristal de quartzo citrino
1 Cristal de ametista
1 Conjunto de bijuteria cigana
1 Toalha azul
Em um lugar calmo, numa mesa ou no chão abra a toalha azul e ponha o tacho no meio destampado. Do lado direito acenda a vela de cera e do lado esquerdo a vela de mel e faça esta oração.
“Este Pote eu ofereço ao Povo Cigano e a cigana (o), (se não for souber a sua uma que tenha fé), para que seja a minha segurança de hoje até o final de meus dias. Onde eu possa pedir por amo, amigos, sorte, dinheiro, trabalhos dos campos físicos e astrais e também intuição.”
Após rezar, coloque no fundo metade do arroz com casca, o restante dos grãos e cubra com o restante do arroz. Em cima coloque a ferradura, as moedas (todas com o valor para cima) e as jóias.Grude o pó de ferro no imã, arranje a bijuteria e coloque no Pote. Coloque o punhal e as flores com pouco caule; jogue um pouco de cada perfume e feche o Pote.
Quando as velas acabarem, embrulhe no lamê e deixe num lugar reservado. Após 7 dias abra coloque o restante dos perfumes dentro dele coloque suas mãos e faça seus pedidos. Torne a embrulhar e guardar Escolha uma data para que crie uma rotina de entrar em contato com os espíritos ciganos. Ex: de 7 em 7 dias, de 15 em 15 de 21 em 21, só não é bom abrir na lua minguante. Se o dono for Barô/Bába de Tsara, pode-se ter este Pote no altar, deve ficar sempre aberto. No caso de a pessoa ter um espírito cigano que entre em sua aura, o protetor escolhe onde deve ficar, pois alguns espíritos gostam que se enterre como proteção.
Outras pessoas ligadas ao dono do Pote podem pedir, mas não deverão por as mãos.

Cigano Wladimir - Regente do ano de 2010



Bem, este feliz ano será regido pelo Cigano Wladimir, o nosso querido Rei. Rei de todos os ciganos e pessoas que o amam como nós. E isso é muito bom, porque teremos o vigor e exigência que tem este espírito quando na influencia nos dias de sua vigência.
É tempo de dizer que Wladimir, é o protetor do trabalho, e das mulheres, sendo muitíssimo exigente, quando se fala que vivemos num pais tão cheio de pessoas que quando detêm poder, não o utiliza na forma correta, acarretando desemprego e desestabilização de muita gente, penso logo em Wladimir. Em como ele trataria isso.
Acredito que por isso a forma rígida de Wladimir tratar com as pessoas que chegam ate ele (principalmente com problemas de trabalho e sustento), ensine as pessoas a valorizar o trabalho que tras “o pão de cada dia”, e a valorizar mais as nossas reais necessidades, pois sem trabalho não se vive, não se come, não se tem como cultuar as religiosidades em geral, por isso ele é tão mister em nossa existência.
Wladimir foi um grande homem, do mundo, joieiro, ourives exímio, observador dos sentimentos que não passam, atento sempre com as mulheres, todas, as mães, irmãs, tias, avós, kalinatas, dienas, purys, mas também sempre justo. Chegando a checar todos os lados de uma mesma questão, mesmo que tendenciando ao lado feminino, por nos julgar mais necessitadas de sua atenção.
Sendo assim neste ano de 2010, não poderemos pensar que estamos sendo mais protegidas que os homens, isso não é uma disputa. Mais sim, estaremos sendo mais observadas pelo astral, pelos clãs, Rei comanda. Teremos a justiça a nosso favor, e isso é uma coisa maravilhosa! Mais lembre-se “Justiça”, se estiverdes errada – Justiça!
Wladimir fazia suas jóias pelo mundo e com o seu jeito calmo conseguiu auxiliar muita gente, de nosso povo e também de gadjes, sempre primando pela justiça e pela força e amor ao trabalho. Podia o Rei, não auxiliar estranhos a nossa raça? Sim, é claro, mas lembre-se de que ele é justo, seja com quem for. É por este motivo que neste ano de 2010, teremos muito, mas muito, mais muito trabalho mesmo, e a favor de todos nós, o resultado!
Isso é lindo, mas é dúbio e muitos me perguntam: Como se ele é Rei teria um outro lado? Respondo eu: A espiritualidade, é sábia! Todos nós somos seres em evolução, se trabalhamos demais, podemos ver o resultado alegre, produtivo. E quando trabalhamos demais, sem considerar família, cônjuges, amigos, e por vezes nosso próprio corpo? Vemos também o resultado: Dor! Wladimir alerta nisso, dizendo que somos Sombra e Luz, trabalhar é necessário, mas saiba que trabalhamos para viver e não vivemos para trabalhar. QUE SEJAMOS JUSTOS, com a gente mesmo. Wladimir diz sempre do trabalho, e quando falamos em amor, pensamos que vamos pedir a outro Mestre, e não. Trabalhar a paciência, a tolerância, a gentileza, e os homens as benesses para as mulheres que fazem por assim merecer. Trabalhem a capacidade de demonstrar amor, de beijar, de abraçar de falar, que por vezes em virtude da vida atribulada deixamos de fazer.
A força do Rei, é de uma riqueza, que nos trás sensibilidade, que nos trás mais prazer no trabalho astral, que nos faz ter mais responsabilidade, mas que nos faz evoluir de forma pensada, subindo um degrau de cada vez. Sendo assim, penso e desejo que a vibrante vigência de Wladimir em 2010, lhes traga trabalho e resultados, nos traga benesses como poder trabalhar a nós mesmos. Para que possamos evoluir, sem esquecer que a força feminina é linda, mas não pode ser o que não é. Somos evolutivos, assim como Wladimir na sua sapiência, diz, que ele também o é.
Saibamos plantar. Não sejam o primeiro a brigar nem o ultimo a fazer as pazes.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O Balandrau!



O Balandrau
Sabe, como diria os Leitores de Machado de Assis: Aguardo! Enquanto o próprio Machado falava: Não leitor, não desiste, não vire a pagina. É isso meus amores, tudo isso assim para falar do balandrau. No dicionário ele esta descrito como: Veste ritualística, característica dos templários. E é isso mesmo.
Tanto que tão grande é a emoção, que só abro agora no papel, sempre ele a cumpliciar comigo, o que vai La dentro, no que há de mais profundo do meu ser. Eu kallin, nascida dentro da barraca, debaixo de um sol muito quente, parte dos veranicos de agosto. Eu cigana, aos sete anosw começo minha estrada, meu Khértia Drom, sem mesmo compreender o que é.
Recomendações de tias, avós e mães. Comprometimento sem recusa ou escolha. Amei de cara aquilo tudo, os ritos, os ônus sem peso. Tudo natural. Vim caminhando sem pensar, fazendo o que tinha de ser feito. Sabendo apenas de uma única verdade: Não posso errar. Entusiasmos e desilusões fazem parte do caminho, Coisas normais que acontecem a qualquer um. Aos 21 anos o grau iniciatico maior do que eu podia carregar, o papel de “kalinata” (operaria em romanes), que foi entregue a mim, ou seja uma divulgadora de minha cultura, de toda Ramasordé, ali na minha Mao. Deu medo. E assim ministrei inúmeros liekisi, e khértia drom, em sobrinhos, irmãos, filhos, primos, cuidando sempre dos ritos do clã. Ou seja pouco glamour e trabalho e mais trabalho. Papel de Bába, sem ter voto de minerva.
Os anos passaram, evieram as primeiras iniciações de gadjós. Ritos como Dirachim, Urai, Acaens e Kabulim. Sempre nos papeis de manuche, de ratói, sem poder ter duvidas. Crescendo assim a vontade de participar de outras escolas de mistério, outras iniciaticas, de aprender mais, de poder ver com outros olhos.
Tudo isso foi ficando sepultado pelas tarefas do dia a dia, Jogo, carta, consulente, curso, aula, livros, palestras, ramasordé complith. E eu sempre La nas medinores da vida. Sem ter quem me iniciasse. Assim nasceu meu amor, desejo, admiração e loucuras pelas ordens templarias. Pelas escolas de magia, iniciações que aprofundam os conhecimentos, o auto, o saber sobre nós mesmos perante a magia, as escolas de retidão moral, de aperfeiçoamento dos seres humanos. Eu sempre pensando em como é difícil liderar, eu queria estar do outro lado, ate para quando estiver na minha ramasordé, poder compreender e auxiliar muito mais.
Saber mais sobre a essência dos humanos. Mais é meus amigos, o universo realmente conspira e em um sonho que eu contei para uma pessoa dirigente de uma escola templaria, veio o convite para participar, para participar, para compartilhar os ritos iniciaticos. Eu nem acreditei!!!!!!! Era tudo um sonho, tão distante de uma menina kalinata, de uma ciganinha, cansada, mas que necessita pertencer a um grupo sim, sem estar no comando. Aperfeiçoara a paciência, a força, a obediência, estar do outro lado da mesa. E ai fechamos o combinado, como se a brantivina das kumpanias, tivesse sido derramada em nossas mãos.
Hoje, ainda distante do dia em que celebraremos, recebi o Balandrau. Fiquei igual criança, ele é branquinho do jeito que eu sempre pensei!!!! srsrs rs .................... E quando vesti, me senti meio no tempo das cruzadas, muita felicidade eu senti. Fico agora pensando no dia do rito de celebração, despida de todos os meus metais, de minha maquiagem, dos meus sapatos, despida de minha vaidade, de minha altivez, e principalmente livre do peso de liderar.
Sentindo a essência simples, despida, vivendo a benesse de poder seguir a um líder, desfrutar isso. O balandrau entrou na minha vida, para me fazer bebe outra vez, para aprender magia e conhecer a mim mesma, a trabalhar as minhas fragilidades quando de posse do saber. Compartilhar, ter compromisso com os segredos templários e honrar a cruz de malta que paira acima de nós.
Hoje por causa do balandrau, de pés descalços, sinto a alegria de poder abrir os olhos pela primeira vez como um bebe. Por isso digo-vos como diria Machado: Que Alergia! Que Honra! Que Benesse! Sou uma pessoa afortunada, que pertence a esta egregora que só pode chegar e que chegou até mim, quando eu estava pronta, porque Deus é que esta no comando.
Digo-vos: Viva o Balandrau e tudo o que ele significa!

domingo, 8 de novembro de 2009

Galétzo Romani Evoriana / Potage Mathacho


Canja de Bacalhau

1 posta pequena e 1 rabo de bacalhau
3 colheres de sopa de azeite
300 g de batatas
2 colheres de sopa de arroz
4 ovos
Confecção:

Cozem-se em água, juntamente com azeite, a posta e o rabo de bacalhau previamente demolhados.
Em seguida retira-se o bacalhau e introduzem-se no caldo a ferver as batatas descascadas e cortadas em quadradinhos e o arroz.
Deixam-se cozer.
Entretanto, desfia-se o bacalhau e junta-se ao caldo.
Rectifica-se o paladar.
À parte escalfam-se os ovos.
Serve-se a canja com um ovo escalfado em cada prato.

Galétzo Romani Evoriana/ Potage Brasnô


Canja de Galinha
caldo
1 frango médio em pedaços
1 cenoura média picada
1 cebola média picada
1 maço médio de salsinha amarrado
3 talos de salsão picado
canja
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 xícaras (chá) de cebola ralada
2 xícaras (chá) de cenoura ralada
2 tomates médios sem pele e sem sementes
3 colheres (sopa) de manjericão picado
1/2 xícara (chá) de arroz lavado
sal a gosto

Modo de Fazer:
Limpe o frango, lave-o, seque com papel toalha e pique-o em pedaços pequenos. Retire o excesso de gordura e coloque-o em uma panela grande. Adicione 6 litros de água, a cenoura, a cebola, o maço de salsinha amarrado e o salsão.

Leve ao fogo baixo e cozinhe, com a panela tampada, por 2 horas. De vez em quando, retire a gordura que se formar na superfície com a ajuda de uma escumadeira. Retire do fogo, coe o caldo e desfie o frango. Reserve. Em outra panela, aqueça o azeite, junte a cebola, a cenoura e o tomate. Refogue, sem parar de mexer, por 5 minutos.

Acrescente o frango e refogue mais um pouco. Junte o caldo reservado, o manjericão, o arroz e o sal. Cozinhe por mais 35 minutos, até o arroz ficar bem macio. Mexa algumas vezes durante o cozimento.

Galétzo Romani / Varenkies


Ingredientes
1 Kg de farinha de trigo
2 ovos
250 ml de água morna
1 colher (chá) de sal
2 batatas médias cozidas e amassadas

Do recheio
1Kg de batata cozida e amassada
4 colheres (sopa) de óleo de milho
1/2Kg de cebola bem picada
Pimenta-do-reino
Sal
Alho

Modo de Preparo
Massa

Coloque a farinha de trigo em uma superfície lisa. Faça um montinho e, depois, abra o meio formando uma cratera. Depois coloque os ovos no inteiror junto com a água morna, o sal e as batatas. Misture tudo com mixer (se não tiver um, pode fazer isso em uma bacia) e trabalhe a massa por dez minutos (20 se não usar mixer). Abra a massa em uma superfície lisa com um rolo de macarrão e corte o formato dos pasteis usando um copo.

Recheio

Esquente o óleo e refogue a cebola picada, misturando na batata amassada. Salgue e apimente. Para finalizar, coloque um pouco de recheio em cada cículo de massa e dobre, juntando as pontas. A massa ficará em formato de meia-lua. Esquente bastante a água, coloque sal e cozinhe os varenikes.

Você pode decorar o prato pronto com algumas poucas cebolas picadas fritas no óleo espalhadas por cima dos pasteis.

Pode ser recheado tambem com recheio doce.

Galétzo Romani / Iakna


Ingredientes

•1 xícara (chá) de grão-de-bico.
•1 galinha cortada em pedaços.
•4 cebolas grandes cortadas em quatro.
•1 cebola pequena picada.
•2 grãos de pimenta doce.
•1 pauzinho de canela.
•Sal.
Modo de preparo

•Cozinhe o grão-de-bico junto com a galinha.
•Enquanto isso, refogue as cebolas grandes na manteiga.
•Depois, junte a galinha e a cebola pequena, temperado com sal, pimenta doce e canela.
•Acrescente o grão-de-bico (sem casca) e cubra com o próprio caldo.
•Deixe ferver até que tudo fique bem cozido.
•Sirva com arro.

Galétzo Romani / Civiaco


Massa:
1kg de farinha de trigo, 03 colheres de café de fermento para bolo, 02 gemas, Agua morna.
Recheio
01Kg de ricota
12ovos,
Acuçar refinado a gosto,
300gr de passas sem sementes
Cobertura 400gr de frutas cristlizadas
Creme de açucar e limao.

PREPARO:Massa

Junte a farinha as gemas o fermento, e misture agua morna aos poucos, trabalhe a massa com as mãos molhadas em água morna até alcançar o ponto de massa de pão. Deixe a massa descansar por uma hora. Abraa massa até conseguir formar um retangulo de 1metro de cumprimento.
Recheio
Desfaça a ricata com um garfo, mistures os 12ovos e as passas, acrescente açucar aos seu gosto, misture tudo muito bem e coloque sobre o retangulo de massa.
Finalizando:
Enrole a massa em forma de rocombole, e com este faça um caracol píncele com manteiga e asse.
Após assado, coloque o creme de açucar e limao.

Galétzo Romani / Armianca


Armianca: Salada de alface e tomate (em rodelas);champignon; queijo de cabra, cenoura, beterraba (empedaços) e berinjela frita (em tiras). Enfeitar com uvas-passas, raminhos de hortelã e pétalas de flores.

Galétzo Romani / Sarmá


SARMA (Trouxinha de Repolho)

Origem: Este prato surgiu na região onde hoje é o Paquistão (deserto do Punjab), fazendo parte da cultura árabe originalmente, sendo conhecido como charutinho de repolho. Nosso povo, nômade por natureza, modificou-o, acrescentando ingredientes próprios dos lugares por onde passava.

Abrangência: Comunidade cigana, em especial a Roms( de origem do leste europeu)

Ingredientes
4 repolhos grandes
1 kg de carne de vaca
1 kg de carne de porco
1/2 kg de bacon
10 tomates maduros
1/2 kg de arroz
5 folhas de louro
1/2 xícara de azeite
azeitonas e cogumelos a gosto
tempero: cebola, sal, pimenta a gosto

Sosso (molho)
2 colheres de azeite
2 dentes de alho
2 latas de molho de tomate pronto
5 tomates picadinhos
1 colher (café) de colorau
Coloque em uma panela, todos os ingredientes e cozinhe.

Modo de preparar
Repolho
Retire o miolo de cada um dos repolhos sem desmontar as folhas . Coloque em uma panela grande: água, vinagre, sal, o azeite e 2 folhas de louro o suficiente para cozinhar os repolhos (não deixe ficar muito cozido). Tire os talos das folhas, sem rasgá-las. Reserve.

Recheio
Corte as carnes em quadradinhos pequenos. Em uma panela coloque o azeite, os temperos e a carne de vaca. Deixe cozinhar. Em seguida coloque a carne de porco. Deixe cozinhar. Retire do bacon a parte do couro e reserve. E coloque o bacon na panela com as carnes. Deixe cozinhar. Corte 5 tomates picadinhos e coloque na panela das carnes. Depois de cozido retire do fogo e coloque azeitonas e cogumelos picadinhos. Lave o arroz e junte ao cozido. Coloque o restante do louro.

As trouxinhas
Pegue uma panela grande, forre com as sobras das folhas de repolho e com o couro do bacon. Reserve. Pegue a folha do repolho e coloque bem no centro 1 colher (sopa) de recheio. Dobre a folha: 1º a parte direita em cima do recheio, 2º a parte esquerda em cima da 1ª parte. Dobre duas vezes o rolo, ficando a parte aberta para baixo. Proceda assim com todas as folhas. Coloque na panela preparada as trouxinhas em círculo, começando dos lados para o centro. Em quantas camadas couber. Cobrir com o restante das folhas de repolho que sobraram, deixando uns 10 centímetros para o crescimento das trouxinhas. Coloque água o suficiente para cobrir e coloque o molho (sosso) e deixe ferver. De vez em quando dar uma chacoalhada na panela para não queimar. O prato estará pronto quando o arroz estiver cozido.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Oração de Prosperidade

"Supremo Deus de Infinita bondade.
Sou um ser sadio, rico e feliz!
A minha mente, pensamento e emoções são perfeitos e sadios.
A harmonia e a riqueza fazem parte de todas as células e átomos do meu corpo.
Desintegram-se agora todos os medos, conflitos e crenças anteriores, fortalecendo o merecimento de receber, saúde, riqueza e felicidade.
A riqueza está presente em minha vida todos os dias de forma natural e positiva.
Riqueza física, riqueza mental, riqueza espiritual, riqueza emocional e riqueza material.
A riqueza, como tudo que existe no Universo também é uma energia.
Essa energia tem a cor dourada.
Respiro essa energia dourada e sinto-a invadindo todo meu Ser.
Sou próspero bem sucedido nos negócios, tranquilo e sereno.
Conscientizo-me da Lei da Riqueza.
A natureza é um altar de servir e dela participo ativamente.
Sou um Ser da prosperidade.
Sou realmente um ser sadio, rico e feliz!
Assim é em minha mente..."

(Lei da atração)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Workshop de Magias com Espelho



Parceria de Fé!
Mais uma realização do Estrela Cigana, a pedidos, a gente nem ia fazer agora, mas como ja conhecem a Elis Peralta (o nome já diz "Peralta", rs rs srs .........) e depois de mais uma sessão da "Espreme Ramona", ela estraiu este dia. Fiquei super feliz e aguardo voces la!

***ESTRELA CIGANA ESPAÇO HOLISTICO***
WORKSHOP DE MAGIAS COM ESPELHO(C/VIVÊNCIAS PRÁTICAS)
“Potencialize sua vidência e saiba entrar em contato com seus ciganos protetores,através da força do Espelho...
CONTEÚDO:
•ENCANTAMENTOS P/ TRABALHOS MEDIÚNICOS
EVOCAÇÃO DA CIGANA(O) PELO ESPELHO
VIDÊNCIA
MAGIAS DOS ACAMPAMENTOS
TRABALHO DENTRO DA ESTRELA CIGANA
RITOS C/ ESPELHO
Dia:08/11/09
Horário:9:00as 13:00
Valor: 60,00 c/ apostila em CD inclusa

INFORMAÇÕES: ESTRELA CIGANA ESPAÇO HOLÍSTICO
TEL:3471-2114/7863-4215(Elis)
BAIRRO:CASCADURA-RJ
VISITE NOSSO SITE:
http://sites.google.com/site/estrelaciganaholistico
E-mail:estrelacigana.holistico@yahoo.com.br

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Realese - Editora Kalon


Ramona Torres, cigana kalon de raízes evorianas, é autora de vários livros que tratam de sua Raça, aqui fala das Origens, Histórias, Lendas, Ritos e Especialidades Magicas, a pedido das pessoas que querem se aprofundar no estudo dos mestres espirituais ciganos. E atende as necessidades de quem trabalha com a espiritualidade com respeito, seriedade e amor. As historias e lendas foram contadas pelos próprios Mestres, e confirmadas em varias fontes diferentes, e pela primeira vez em um papiero, é revelada a Tradicional Roda Cigana. Assim na sua missão, levando a todos o que foi revelado, e com a devida autorização astral, mostrando que o trabalho com os mestres, é prazeroso, simples, e nos faz caminhar num patamar, muito mais elevado.
Editora Kalon

Livro Novo - Os Mestres Ciganos Astrais!


Amigos, finalmente nasce o Livro dos Mestres. Com o apoio do Espaço Estrela Cigana Espaço Holístico, farei o Lançamento dia 14 de novembro de 2009, às 19:00 horas. Estão todos convidados para o nosso encontro. Peço confirmar presença ate o dia 08/11/2009, para que possamos receber com todo o carinho que o Espaço oferece. Endereço do Estrela Cigana – Rua Cerqueira Daltro, 683 / Cascadura (Rua do Colégio Santa Mônica). Rio de Janeiro/RJ.
Valor da Obra: R$ 40, 00.
Promoção do dia de lançamento – R$ 32,00

sábado, 26 de setembro de 2009

Tsara Luz Cigana - Contagem/ Belo Horizonte.




O nome já diz sobre o que se encontra o que há lá: Que é “LUZ”. No domingo de setembro, estive em BH/Contagem para reencontrar amigos, trabalhar, levar ate os amantes da cultura, um pouco da nossa magia a quem tem espíritos ciganos na aura. Bem depois de uma viagem muito tranqüila, muito amiga, cheguei luminosa. Cheguei ao lugar do desembarque, as pessoas olham, chegam a vem olhar a grande mulher. A ciganona de saia verde, esquisita com todos aqueles metais pendurados. Causo espanto e curiosidade, mas logo vem um, chega, pergunta, sorri, eu sorrio também. Um sorriso cansado, mas logo se estabelece o elo da paz, depois chega meu anfitrião e começa a longa viagem.
Ele chega, amigo, cheio de boas energias. Ele me conduz ate a ate a Tsara, onde chego na Kumpania de cimento e pedra, no grande acampamento vertical. Eu sou recebida como pessoa da casa, e também me sinto em casa, sinto a energia pura dos elementos, da energia do amor, da casa cigana. Do cheiro de incenso, do riso de moça, encontro a alegria de dentro da barraca.
A moça cigana sorri. Me alimenta, com seu carinho, com seus alimentos tão saborosos, com um tchaio lindo, com direito a frutas recobertas de carinho e verdades. Alimentação risonha que nutre a alma. Conversamos longamente como uma viajante que chaga feliz em casa, louca pela troca positiva que so a “Família” pode dar. Escuto os passos, de Wladimir, de Ramiro, de Pablo, de Stefano, de Estevan, de Maria, sinto o calor de Mariele, a luz de Piero, sinto o tom da alegria de quem esta no caminho certo. Os outros amigos estão lá sorrindo. Yasmim, os ciganos do deserto, os grandes bailarinos hispânicos.
Sinto o borburinho, o farfarlhar das saias, as risadas, o calor, o reencontro. Chega a hora do “papar”. Uma comida linda, cheia de estilo, mineira, daquelas que parecem ligths, mas que enganam, e que a gente não consegue para de comer, de tão gostosa. Uma comida tão carinhosa, que acabo comendo bem mais do que devia, sem poder resistir, afinal, estava tudo tão delicioso! Depois logo me arrumo, me apronto. Para homenagear meus amigos de jornada, meus companheiros, que me fazem ter força e vontade de continuar. O ambiente é preparado.
Começam a chegar os amigos e amigas de jornada. Em cada rosto vou descobrindo que de alguma forma, já os conheço, embora seja a primeira vez. Os olhos, a recepção, o brilho, me remete a mesma alegria tão minha conhecida dos acampamentos. Me da segurança, fico feliz. Começo a palestrar, a falar e a brincar com coisas sérias. Digo palavras muito fortes de forma muito leve, como faria o bobo da corte, meus amigos acompanham, riem, entendem, trocam através de seus olhares uma cumplicidade, um amor, que mesmo estando sempre diante de platéias diversas o tempo todo, aquela me impressionou. Afinal não é todo dia que o amor transborda na minha direção.
Fico muito feliz, coração sem reservas, respondo as questões apresentadas, e fazemos um intervalo precioso, sem primar pelo preciosismo, o que é paradoxo, e impar, mas é pura verdade. Tudo muito gostoso, com aquela hospitalidade que os mineiros fazem tão naturalmente, alimentos recheados de carinho.
Voltamos e começa a parte mais bacana, uma pequena vivencia, que embora seja de minha rotina, antes mesmo de ser executada, já sentia a energia dos espíritos ciganos festejando muito fortemente, muita cheiro e presença de kumpania naquele lugar. Começamos, eu auxiliada pelo Flavio (notoriamente mediunizado com o querido Cigano Stefano), me olha e sorri, uma face diferente da do meu anfitrião, como se fosse uma aprovação discreta e amiga. Fiquei naquele momento muita certa do que podia fazer. E fiz. E foi emocionante, ver o reencontro das pessoas com seus amigos astrais, serem recebidas pelos seus ciganos, fiquei muito feliz, as lagrimas brotavam, mais eu sabia serem da mais pura emoção.
Depois os comentários, deliciosos, pois são mesmo uma parte, em que me sinto dentro das historias de cada um. E finalmente (infelizmente), chega o final. Pedem-me para dançar, o que faço, como se estivesse dançando na kumpania mais feliz do mundo.
Na hora de irem embora, meu coração aperta. Saudades, de todos. Muitos abraços e muitos beijos, uma irmandade se fez ali. Um acampamento renasceu, voltei a rever amigos, que já estavam na minha alma.
Enfim chega a hora de voltar para o meu chão, embora “abusadamente” já sinto aquele chão da Tsara Luz Cigana, como meu também. Vim, no mais novo carroção, com o coração cheio de luz, não só pela alegria do trabalho realizado, mais por ter a certeza de que a Alma Cigana, é muito mais do que verdadeira naquelas pessoas, principalmente na Ana Paula e no Flavio, que como VERDADEIROS CIGANOS, não mediram distancia, dificuldades, trabalho, nada. Fizeram tudo, em meses de trabalho e conversa para que eu pudesse ir ate eles. E uma vez la, senti que a nossa energia não esta somente afinizada, mas muito mais do que na mesma vibração, eles me fizeram sentir, que hoje tenho uma kumpania, renascida, renovada, muito bem cuidada, por gente do meu povo, ciganos de alma, sim, mas com postura de ciganos verdadeiros, que se preocupam em fazer o certo e o melhor, e com certeza fizeram muito mais do que isso.
Grata meus irmãos, grata Cida e Ronaldo, grata Pastora, grata a todos por esta linda oportunidade, que vou querer repetir sempre!!!!!!!!!!!!!!
É isso ai meu povo. Tsara Luz Cigana em Contagem/ Belo Horizonte/MG, é um acampamento cheio de AMOR!!!!!!!!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Sou Cigana! Me si Kalin ke Buino! Sou Cigana de sangue kalon evoriano.

Ser Inteiro.
Uma escritora meio doida, meio normal, enfim tudo certo e como deve ser!

“Gosto dos venenos mαis lentos, dαs bebidαs mαis fortes, dos cafés mαis αmαrgos, dαs idéiαs mαis loucαs, dos pensαmentos mαis complexos, dαs vitóriαs mαis difíceis, dαs festαs mαis αnimαdαs, dαs pαixões inesperαdαs, dos sentimentos mαis fortes.

Tenho um apetite vorαz pelα vidα, um coraçαo bobo e delírios mαis loucos.

E você pode até me empurrαr de um penhαsco que eu vou dizer:E dαí? Eu αdoro voαr.

Para ser grande, sê inteiro.

Nada meu exagera ou exclui.

Pôe o quanto tu és em cada coisa que fazes..."Vou descobrindo o meu "tamanho" nessa imensidão que é a vida: sou do tamanho do amor que tenho pela minha família, pelos meus amigos e pelo meu trabalho”.


Texto de Clarisse Linspector/ 1972.

domingo, 23 de agosto de 2009

O Mundo se Repete!!!!


Sabe, depois da publicação do ultimo post, e depois de tanto tempo e sem tempo para sentar e escrever para o Blog, o artigo veio em função de situações que eu mesma, prometi a mim que não faria. No inicio da publicação do blog, pensei em escrever somente em função da divulgação da cultura. Materiais inéditos, informações preciosas, ritos de acampamento, enfim para que os Ciganos de Alma, pudessem ter mais uma fonte para trilhar suas estradas mediúnicas.
Pero, o mundo se repete, o meu avô Pedro Torres, o primeiro cigano da nathsya Torres, a nascer no Brasil (1913), em Pernambuco, como muitos nordestinos ao tentar buscar um destino mais prospero, veio para o Rio de Janeiro em 1930, já com sua profissão de moveleiro, foi inovador na sua época, pois serviu ao Exercito Brasileiro, e de seus contatos (que abrangiam clientes de moveis e de oraculador das nuvens do céu) conseguiu um cargo de servidor civil (como moveleiro/artesão) na Marinha do Brasil – no primeiro Distrito Naval/ Praça Mauá, onde ficou até falecer em 1955. Onde mostrou seus talentos, fazendo muitos moveis, para a Marinha e para militares encantados com tudo o que ele podia fazer em madeira. Ele foi polemico, morenao, bonitão, cabelos negros, sempre mais compridos do que o permitido pela Marinha, blusões sempre coloridos, enfim um cara atípico, mais muito querido. Nestes dias em que viveu o velho cigano, não havia pode-se dizer “uma mídia escrita”, mas ele foi um grande divulgador da raça, nos seus churrascos, nas suas padjangas, nos saraus, nos balanços da roseira.... Ele revelava muito de nós. Morou em casa, mas teve barraca nos campos do Gericinó, ate morrer. Enfim um cigano que muitos o juravam Krisnitory, sem nada acontecer de fato, ate porque a espiritualidade sempre esteve o impulsionando para fazer o que havia para ser feito.
Agora meio século depois, estou cá, como diz a minha ancestralidade. Como dizem em Évora, estou “Farfando”, incomodando, mais tenho também alguém para me ouvir. Eu prometi não usar deste meio para dizer episódios particulares, e sim somente sobre nossa cultura, ate porque sou do acampamento, diferente de quem se diz, mas não é capaz de ser coerente. Mas ai pensando como meu avô, digo falarei por fim deste meio sim, porque terá sempre quem leia. E também porque o que estou passando nós ciganos conhecemos muito bem. Falar a nosso respeito, é coisa comum nesta estrada.
São informações importantes também para quem é Cigano de Alma, as perseguições (e este ano foram muitas) feitas ate por quem não carrega este sangue, realmente não importa, o único fator importante é o que tem que ser feito. Porque do outro lado existe muita gente séria (graças a Deus, a maioria), que me ligou após a publicação (Ingratidão Mediúnica), para dizer o quanto preza nossa raça, e o que posso levar através do que escrevo, o quão valioso é dizer isso. Ouvi isso durante a semana, de pessoas muito próximas, que me conhecem muito bem. Mas hoje durante plena crise renal (e usando programa de voz, pois não agüento sentar), e sob protestos do marido (de que trabalho demais), toca o meu telefone, com um carinho de uma pessoa que pouco trocou comigo.
Mais a troca foi tão profunda, as palavras caíram tão sorridentes, em cima de um rosto que tanto chorou, que me deu vontade de escrever. Foi um incentivo, uma renovação, foi na verdade um recado de Ramiro, Artemio e Manolo, dizendo para não desistir. Um amigo, que não sabe o que causou a generosidade do seu gesto. Cláudio, agradeço viu meu filho!
Por causa disso, é que digo continuarei, sim, fortalecida. Os escritores são pessoas diferentes, não são bons com palavras “ao vivo”, e por isso preferem escrever.
Sim, o mundo se repete. Da mesma forma que o vô Pedro, enfrentou o farfar na sua existência, 50 anos depois estou ca. Desta vez o farfar, não me levará aos Distritos Policiais, como na época dele, mas me levará poder dizer, que a estrada é longa, trabalhosa, e o muito que se tem a ser dito, se depender hoje, não da minha pena, mas da autorização de quem compete e da minha vontade sairá, mesmo debilitada, já me sinto quase boa, direi, afinal como diz ‘Seo’ Ramiro; “O que for ensinamento e ficar guardado, não terá serventia para nada”. Graças aos Espíritos Ciganos, posso dizer que MAGIA, NÃO É PARA FRACOS, mas que sou tão afortunada, que tenho uma trupe comigo, que é muito mais do que ouro, é o que me faz forte nestas horas.
Sim, chega ate mim, tanto carinho, que meu vô Pedro, ia amar essa gente que fica ao lado mesmo levando pedradas junto.
Elis Peralta, Marcus Vinicius, Soninha, Irene, Reginho, Oswaldo, Lupi, Gabriel, Pedro, Marcio, Sara, Telma, Kika, Mônica, Fernanda, Roberto e Cláudio, a todos vocês meus amigos, agradeço, agradeço a todos os outros também, que não puderam me falar, mas se identificaram, e posso dizer nesta hora que o mundo se repete sim, e ainda bem que repete gente maravilhosa como vocês, que me fazem ter força para andar nesta estrada.
Agradeço!!!!!!!!

Ramona Torres
Kallin Evoriana – Manuche Bruxal que tem bons AMIGOS, para continuar a jornada.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Ingratidão Mediunica!

Sim, sempre soube. Sempre soube em vários escritos, disse com altivez: Sim, sou Cigana, uma Kallim, de 1,78m e 90 kilos. Altiva, como todos os ciganos são. Morena como os Mouros, esperta como o gao. Mais capaz, muito capaz. Com uma capacidade mediúnica, bastante aguçada, com meu verdadeiro ouro, que é ver, “além das aparências”. Desde a mais tenra idade eu soube, que na minha caminhada mediúnica, seria sempre assim.
Como é para todos os médiuns comprometidos com a Espiritualidade . Desde 1989, estou na estrada, posso por assim dizer, “profissionalmente” na missão de divulgar a minha cultura. Cometi erros e acertos, quis levar ate os gadjes a essência de ser cigano. Mas neste grupo de “amantes da cultura”, existem os que estão muito comprometidos, não com a espiritualidade, mas com roupas, mangas bufantes, babados e afins.
Neste tempo que vivo, nestes últimos dias, tive varias revelações. No mesmo barco da busca, muita gente que senti o calor e acreditei, acreditei que todos tinham a mesma BOA ESSENCIA que tenho. Mais os Vis, se revelam, as mascaras caem, e os bons são peneirados. Recebi muitas punhaladas. Mais saibam QUE EU SOU CIGANA, e jamais vou responder na mesma moeda.
Eu sou Cigana, tenho um BRILHO, que por mais que se adoeça o corpo, minha essência seguirá. Aos incautos espirituais, dou um conselho: Se não conhecem os verdadeiros poderes da magia, não brinquem com ela. Ela é muito mais que taças de champagne e cigarros caros. A energia dos acampamentos, dos espíritos ciganos é sutil, sabia e forte. Pareço meio fria a estas questões, mas é que para mim, é tudo muito natural, eu não desmonto a toa. Porque eu nasci debaixo de um céu estrelado, e cresci em torno das fogueiras, da necessidade de conhecer, o cheiro de quando vem a chuva, ou quando o sol virá. Eu sou cria de acampamento e por isso conheço MAGIA. Agora entendo porque Wladimir, volta sempre ao primeiro passo, após chegar ao ultimo, é porque estamos sempre aprendendo, e os que não podem, não agüentam a essência da pura magia, eu aconselho: Não mexa com ela, magia não é para fracos. Pois como cigana, tudo que aprendi com as Manuches e nos grandes portais universais, foi na dureza, sem acalanto, mas com ensinamento.
Os espíritos ciganos são sábios, eles sabem discernir, o que é, de quem é ou não. Por mais punhaladas que eu receba, eu continuarei. Nos momentos iguais a hoje, em que eu choro, em que minhas lagrimas descem, elas lavam os meus caminhos. Peço a Manolo, Artemio e Ramiro, para que meus sentimentos humanos, não marquem, nem manchem a minha estrada. Que não me permitam desistir, nem desanimar pela força das ingratidões que se recebe. Não permitam que a forma do outro me tratar, influencie ou determine o meu comportamento. Quem me atira ingratidões saiba, que a tua espera tem uma Evoriana Ferida, com uma rosa nas mãos, e você, agressor, caluniador, possa escolher, entre o aroma ou os espinhos, entre a beleza ou a dor. Afinal a água que se escolhe para beber, se é turva ou límpida, é só uma questão de escolha.
Por isso termino dizendo: Sim, sou cigana, independente de festa, de vestido, de estar viva ou não. Pois mesmo morta dirão, ela era cigana. Nestes dias aprendi que o meu BRILHO, incomoda. Mas ele é meu, aprendi a nunca dar perolas aos porcos. Pois para viver a magia, é preciso entrega, totalidade. Pois para conduzir trabalhos mágicos, tem que se ter CORAGEM, de dar a cara para bater, e eu tenho. Digo: Que venham ate mim, para aprender ou para catar. Venha! Eu jamais vou devolver Punhalada, eu torço para que se faça a escolha certa.
Sou Cigana! E a minha Força e a minha Luz, ninguém pode tirar.

Ramona Torres

Kallim Evoriana, Facilitadora, Palestrante e Oraculista.

Maga por Vocação, Herança e Estudo.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Sao Jorge!!!

Oração a São Jorge
Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
São Jorge Rogai por Nós.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Iniciatica Espiritual do Povo Cigano – Ritos de “Khértia Drom”

Falar de iniciatica é tao dificil quanto por em pratica. Ate porque sao pactos astrais, que muitos fazem sem o estar totalmente conscientes da responsabilidade assumida com a espiritualidade superior. Entao revelar que os ciganos debaixo dos ceus fazem um processo iniciatico rigoroso, pode causar um espanto, mas, o que vos trago é informação pura do que acontece nas kumpanias.
As crianças que revelam dons mediunicos sao iniciadas a partir dos sete anos. Ainda que um cigano possa ser iniciado em qualquer epoca da vida, com qualquer idade. Hoje como nos primordios, os direcionamentos dos ritos sao os mesmos. O que muda é o fato de estar sendo revelado aos que nao sao da kumpania, mas que na sua ancestralidade trouxeram para dentro de suas casas (casa-corpo, casa templo), a essencia dos ciganos, amando-o e respeitando, com todo fervor, e por isso foi lhes dado conhecer, o que dentro da espiritualidade, fara muita diferença na vioda de cada um. É a primeira vez, que esta sendo revelado, uma vez que nós nao possuimos leis que nos obriguem a ser iniciado, ou mesmo livros codificadores.
Temos uma serie de principios basicos, aceitos por todos os ciganos salvo uma modificação ao outra conforme o cla. É essa aceitaçao, aliás, que torna possível a fraternidade universal e a sua condiçao de grande família no seio da Humanidade, sem que, no entanto, necessite existir um cargo politico religioso como um papa, que centralize uma Ordem, que ja nos é natural.
Nos naturalmente aceitamos, as condiçoes de melhoria, ate por estar no acompanhamento da evolução do planeta. Nao existe por exemplo uma sociedade politica, o que nos importa é o fator melhora da vivencia mediunica, dentro de uma sociedade gadje cada vez mais unida a nós.
Ate porque entre nós os conceitos de Fraternidade é muito forte, entre nós o fato de ser cigano, já é preponderante, para que nos aceitemos como familia, mesmo entre os rati (de sangue) para com os ciganos de alma. Por isso carinhosamente nos chamamos todos de primos. Um dos prinicpios da iniciação dos ciganos, é estar conectados com o astral superior o tempo todo e isso nos impoe uma postura terrena, que consiste em que estes que vem principalmente pelos laços do amor (apos analisados, muito analisados), serem reconhecidos como irmaos, e assim devemos trata-los no tocante ao prestar auxilio e proteção.
Somos um povo perante as leis espirituais do “nao proibir”, porem que cada um saiba o onus que tera com suas proprias açoes. Ate enato para nos o que une é o amor, e todos durante as iniciações sao “bebes que estao acordando”. E apos despertos serao todos ciganos aptos ao grau de liderança elevado a um Barô espiritual, isto justifica o fato de a iniciação ser tao longa (sete anos). Cada cla astral tem forma propria e metodos proprios de trabalho, embora as diretrizes dos trabalhos astrais sejam as mesmas em todos os clas. O que lhes cito aqui é em torno da iniciatica Kalon evoriana, o que abrange uma boa parte dos kalons ibericos, excluindo-se, o kalon Latacho, porque acreditamos que estes ja nascem iniciados na magia dos ciganos. Sao treze os ritos da iniciatica, e a existencia significa que eles devem ser aplicados na pratica, embora a obediencia seja o fator de maior importancia em toda a vida mediunica dos ciganos.
O nascimento da convenção dos ritos iniciaticos foram consolidados no passado, nos primordios e como nossa tradiçao é oral, nao temos documentos que atestem o ano, porque para nós ciganos, isso nao é importante. Mas acreditamos que tenham sido convencionados durante os terriveis anos da Santa inquisição, para que todos os iniciados em qualquer “passo” pudessem se livras das garras dos Tribunais do Santo Oficio. No que chamamos de “Khertia Drom” (o Papel do Caminho”, papel no sentido de missao), trabalhamos em torno de aprender os ensinamentos e nos qualificar para o trabalho astral, porque este tanto representa em muitos casos a subsistencia material dos ciganos, e tanto quanto seguir as regras, do trabalho para o qual foi preparado.
Os estudos de outras artes, como astrologia, magia elemental, magias dos cristais e velas, evocações serao complementares na magia de trabalho dos ciganos. Isso fez com que pudessemos evoluir e ate mesmo iniciar um começo de revelações nesta nova era. Afinal o ocultismo que faz parte naturalmente de nossas tradições deve ser partilhado tal qual como o pao. Sei que tal atitude ainda encontrará diversas reações, e muitos mesmo dirao que nao ha iniciatica nenhuma! Pero como me coloco a serviço dos espiritos, a eles me reporto, na intenção de fazer publico estes ensinamentos, para que cresça ainda mais o cla que trabalha na seara de Cristo. O que cada um vai fazer apos conhecimento, pertencerá a estrada de cada um.
Como creio no amor aos espiritos ciganos, sei que o direcionamento ha de vir, no trabalho do bem, creio nisso. E os ritos, as cerimonias, sao e tem carga simbolica dos laços que estamos fazendo, e isso marca profundamente (atraves de sensações) o espiritos de quem se submete a tais ritos. Existe uma linha de pensamento que aquele que se submete leva para a sua vida pessoal o mesmo padrao de comportamento de sua vida espiritual. Como diz a biblia: “Devemos preservar os misterios. A palavra, os sinais e as regras”. Sendo que acreditamos que o iniciado, sendo conhecedor da palavra (digo das palavras), da importancia do trabalho, e as regras, ele nao se desvirtuará do seu dever.
A Iniciatica em estado Real. A Khértia Drom desvendada e suas reações. Todos nós somos personalidades almas em busca do aperfeiçoamento, mas cada qual dentro do seu estágio de evolução ou de consciência mística. Neste aspecto ninguém pode dar o que não possui ou realizar coisas para as quais não está preparado. Esse ensinamento simples, mas seguro, onde os passos misteriosos simbolizam os diversos planos de evolução cósmica por que deve passar o ser humano e, mais especificamente, o iniciado, até atingir o grau da maestria.
Quando nós assistimos a uma iniciação uma pergunte sempre nos vem à mente: o que traz o neófito? A busca do conhecimento? Uma posição de status na sociedade? O aperfeiçoamento moral ou espiritual? A riqueza? Ou seria simplesmente a curiosidade?
Eu diria, sem medo de errar, que é esta última: a curiosidade. Para o inconseqüente essa curiosidade rasteira que leva as pessoas a invadir a vida privada de seus semelhantes, a conhecer os segredos dos outros para deles tirar algum proveito ou, quem sabe, apenas para deleitar-se com a descoberta hesitante de alguma coisa que parece envolta por uma cortina de mistério.
No primeiro grupo encontramos aquelas pessoas sem nenhuma vocação iniciática, que não conhecem e jamais virão a conhecer as questões tradicionais. Serão sempre curiosos, sem jamais viverem a grande aventura de descerrar o véu da realidade, que só alcança aquele que realmente busca. Ainda que galguem passos dentro de nossa inicatica, nada encontrarão em nossos rituais, ao contrário, sempre haverão de comentar que eles são superficiais e incompletos. E acabarão por se afastar, porque aqui nada encontrarão. Infelizmente, muitos deles, quando isto acontece, deixam para traz um rastro de discórdia e desarmonia.
No segundo grupo estão os Ciganos de Alma. E a verdade é, e sempre foi, buscada de diversas maneiras, pelos mais diferentes caminhos, de conformidade com o estágio de consciência de cada um. Portanto, para melhor equacionar o nosso raciocínio e dar um rumo compreensível ao trabalho que nos propusemos, ouso afirmar que sao varias pessoas que buscam a nossa cultura com razoes diversas.
“Os Trabalhadores” que são aqueles que ve, sua entrada em um cla astral como um meio, como a oportunidade de realização através da prática de trabalhos espirituais, que possuem o seu valor intrínseco, sem contestação, nem peso, pelo trabalho que lhe imposto. Pois nós Ciganos Rati (ciganos de sangue), nao menosprezamos quaisquer dos caminhos que possam direcionar o ser humano na busca do aperfeiçoamento moral e espiritual, na verdade nao podemos prescindir do trabalho desses operários da astralidade, tao necessarios para que nossa cultura espiritual, continue existindo.
Os “Estudadores” são aqueles que buscam o conhecimento, mas que não fazem dele o efetivo instrumento de sua evolução. Usam-no, na maioria das vezes, para alimentar e enriquecer sua capacidade de animar conversas de cunho esotérico ou exotérico, ou para pavonear-se de sua sabedoria contemplativa. São excelentes expositores das religioes em geral. Sabem discernir perfeitamente entre o certo e o errado na liturgia, criticando, muitas vezes até com arrogância e veemência, o ritualista de boa fé.
Os “Transformadores”, por sua vez, são aquela minoria de sinceros que assimilam, efetivamente, o saber iniciático e o colocam na prática de sua vida diária. Eles sabem, ainda que interiormente, que a escada pela qual ele ascende é formada de degraus de sofrimento e de dor, que só podem ser aplacados pela voz da virtude. O iniciado, ao iniciar sua jornada, deve deixar para traz todo vício e, só depois de lavar os pés nas águas da renúncia, da paciência e da tolerância é que ele poderá atravessar o grande abismo, e deverá fazê-lo sem macular um só degrau com pés lamacentos.
A iniciatica espiritual dos ciganos é semelhante a um enorme jardim. O “Trabalhador”, quando chega ali, encontra uma infinidade de flores, de todos os formatos, de todas as cores e de todos os perfumes. Cada uma delas encerra uma verdade, um conhecimento, uma lição de vida. O “Estudador” quando se vê nesse maravilhoso jardim, não tem outra reação que não a de se deixar embriagar pelo perfume narcótico das flores do conhecimento. Já o “Transformador” sente a imperiosa necessidade de colher essas flores, cada uma a seu tempo. Cabe aqui, porém, um alerta: No caule de cada flor do conhecimento está tambem os espinhos, da Lei da Reciprocidade. Ao colher a flor, colhemos também os espinhos e com eles a obrigação de repartir o Conhecimento com outros. E ai daquele que se deixar espetar, porque o conhecimento que não é repartido é um veneno que corre nas veias do Iniciado.
Povo Cigano e suas diretrizes.
Nosso povo canta e dança tanto na alegria como na tristeza, pois para nós a vida é uma festa e a natureza que nos rodeia, a mais bela e generosa anfitriã. Onde quer que estejamos, os Ciganos são logo reconhecidos por suas roupas e ornamentos, e principalmente por seus hábitos ruidosos. Somos um povo mágico, enérgico e passional. Somos peculiares dentro do nosso próprio código de ética; honra e justiça e senso no sentido e sentimento de liberdade que contagiam e incomodam qualquer sistema. Mas nossa comunidade ama e respeita a natureza, os idosos e todos os membros do grupo educam as crianças de todos, dentro dos princípios e normas próprios de uma tradição puramente oral, cujos ensinamentos são passados de pai pra filho ou de mestre para discípulo, através das estórias contadas e das músicas tocadas em torno das fogueiras acesas e das barracas coloridas sempre montadas ao ar livre (mesmo no fundo do quintal das ricas mansões dos ciganos mais abastados).
Para nós, a Lua Cheia é o maior elo de ligação com o "sagrado" quando são realizados os grandes festivais de consagração, imantação e outros festejos em geral. A celebrações da Lua Cheia, acontece em torno das fogueiras acesas, do vinho e das comidas, com danças e orações. Somos atentos observadores do Céu e verdadeiros adoradores dos astros e da magia elemental. Estamos sempre atentos para os ciclos naturais, através dos quais desenvolvemos poderes mágicos. Na culinária a alquimia é feita com amor e encanta quem se alimenta e nutre o espírito, são indispensáveis: o cravo, a canela, o louro, o manjericão, o gengibre, os frutos do mar, as frutas cítricas e as frutas secas, o vinho, o mel, as maçãs, as pêras, os damascos, as ameixas e as uvas que fazem parte inclusive dos segredos de uma cozinha deveras afrodisíaca. O punhal, o violino, o pandeiro, o leque, o xale, as medalhas e as fitas coloridas; a coruja, o cavalo, o cachorro e o lobo são símbolos sagrados para nós. A verbena, a sálvia (que deve ser cultivada sozinha, por que é muito ciumenta), o ópio, o sândalo e algumas resinas extraídas das cascas das árvores sagradas, são ingredientes indispensáveis na manufatura caseira de incensos, velas e sais de banho, mesclados com essências de aromas inebriantes e simplesmente usados no dia-a-dia, nos contatos sociais e comerciais, nos encontros amorosos e principalmente nos ritos iniciáticos, de uma forma sensível, conferindo grandes poderes. Nós vivemos de acordo com a natureza das coisas e os grandes barôs dizem: "A sabedoria é como uma flor, de onde a abelha faz o mel e a aranha faz o veneno, cada uma de acordo com a sua própria natureza". Todos acham que conhecem os ciganos. E de uma maneira geral são poucos os que não exprimem de uma forma categórica o seu conhecimento sobre nós. Existem mesmo "especialistas" que falam sobre as questões ciganas. Mas na verdade o que se tem são ideias que se foram construindo sobre os ciganos a partir do século XV e que se foram rapidamente cristalizando sob a forma de estereótipos. Nós somos pouco conhecidos. Na realidade o que se manifesta em relação a nós é um certo romantismo. A iniciatica da ancestralidade imaginada nos remete para a necessidade de questionar a nossa relação com a espiritualidade e a beleza dos espíritos ciganos. Somos um povo que possui rara beleza, exala sensualidade, transmite segurança para aquele que nos procuram; somos fortes e determinados quando assumimos um trabalho, não deixando nada para depois; somos médiuns de personalidade marcante, severa e disciplinadora, ao mesmo tempo em que somos ternos e doces. Muito dizem de sermos passionais, emocionais e por causa disso mesmo é que procuramos sempre auxiliar as pessoas de maneira inconfundível e decisiva. Auxiliamos também de maneira marcante as mulheres que recorrem a nós com problemas de fertilidade ou de ordem sexual. Damos grande valor ao conceito família. Já que pelo lado espiritual somos todos aparentados.

domingo, 12 de abril de 2009

Passos da Iniciatica das Kumpanias

O PRIMEIRO PASSO:
Passo do aprendiz ou em romani: “MOLVAC”
(ESCOLHA INCONSCIENTE)
Quando um Romani recém nascido entra no mundo, sua mãe normalmente consulta as ciganas mais sábias ou um barô para determinar um papel particular para a criança na família. Estas "leituras de nascimento" somente dá um resultado positivo (evidenciando mediunidade ou paranormalidade) em uma de cada duas ou três leituras, mas se a criança é reclamada por um dos cinco elementos (terra, ar, fogo, água ou éter), é certo que ela será treinada nas habilidades mediunicas que acharem compatíveis. Quando uma manuche realiza uma leitura de nascimento, ele leva a criança para o ar livre na primeira lua nova da vida da criança. Isso no caso de gadjós ou de ciganos a serem iniciados ja adultos sao considerados os aspectos de apidao para a vida espiritual, assim como seus dons mediunicos. Tambem as cartas podem dizer se existe necessidade de iniciação, de acordo com a vontade da pessoa (nao pode ser obrigatorio).
Tradicionalmente, a cigana coloca a criança em frente a uma vela prateada grande. Próximo a vela fica colocado uma taça grande com água fresca, um incenso de rosas amarelas, um quartzo branco e um espelho. Os cinco elementos representam o fogo, a água, o ar, a terra e o espírito, estes são os elementos que acreditamos ser a essência para a vida. Enquanto os pais da criança observam, a manuche usa seu método particular de consultar as cartas, e a fisionomia da criança.
Quando atingir o tempo certo, um dos elementos se manifestará e reclamará a criança. Tais manifestações variam em sua intensidade, mas são inconfundíveis para qualquer um que esteja vendo. E podem também já marcar (nascimento) a criança no corpo (como pequenos sinais em lugares característicos, como no queixo-fogo ou nas mãos-terra, costas – éter, pés – água, sinais dentro dos olhos-ar ). Por exemplo, se uma criança é reclamada pelo elemento do fogo, uma pequena faísca pode saltar da vela e atingir o próximo ao bebê, deixando claro o domínio.
Se o éter reclama a criança, os olhos da criança podem repentinamente lacrimejar quando a criança olha para o espelho. Se a água reclama, a taça pode ser derrubada sem intenção por alguém. Se o elemento terra reclama, pode o cristal apresentar nuances de luz colorida. Se o elemento ar reclama, pode a criança respirar profundamente voluntariamente. Não importando qual elemento reclame a criança, ele dará sinais.

O SEGUNDO PASSO:
Passo do Senhor ou Senhora ou em romani: “SINIR”
(ESTUDO DA MAGIA ELEMENTAL)
A nossa integração com a natureza é permanente, obrigatória sob um ponto de vista, imprescindível sob outro. Dizemos que é obrigatória, pois a essência de nossa alma nômade, nossas kumpanias muitas vezes são realizadas na base do que a localidade nos oferece, coisa que só ficamos sabendo através dos sinais mágicos, que o mundo natural nos dá. Nossa necessidade de estar a céu aberto, “dentro” da natureza, tudo muito próximo a rios, cachoeiras ou outros remansos de água – doce , de que são utilizados para cozinhar, lavar as roupas, nos banhar.
Por esses fatos e pelas consequencias de uma maneira de viver nômade, é bastante fácil compreender a obrigatoriedade do convívio entre os romanis e a natureza. A natureza é a generosa doadora da própria sobrevivência cigana. Nela o povo cigano busca os mais variados tipos de alimentos e água, líquido precioso, de sustentação da vida. É verdade, que quando passamos pelas cidades, compramos gêneros alimentícios, tecidos, ferramentas e outros bens necessários, mas a natureza é referência e o principal apoio da vida. Todavia, não entendemos a natureza somente como a doadora dos elementos fundamentais como alimentos e água, mas como fonte inesgotável de energia. Aí começa o lado mágico da natureza cigana por assim dizer, o fundamento etéreo da vida, o lado abstrato muitas vezes não compreendido racionalmente por nós.
Entendemos em vários aspectos, que a natureza é que fornece a vitalidade, o frescor da vida renovada, a cada dia do ponto de vista da troca energética. Do céu, dos astros do firmamento, do Sol, da Lua em suas diferentes fases, desce a energia positiva de Deus, a força divina mantém o homem em pé, apto ao trabalho, às caminhadas, a geração de filhos e a todos os tipos de alegrias, sensações, emoções e sentimentos. A terra, o solo onde pisamos, propositalmente sem sapatos é a Terra, que recebe sem recusas e sempre aberta a todas as energias negativas, os temores, as angústias de um povo tantas vezes perseguido, as tristezas e os desconsolos que maltratam a alma e o coração.
Somos gratos, temos muito amor pelos astros do céu que nos abençoa e pedimos bênçãos à chuva, as águas dos rios, das cascatas, riachos, cachoeiras, às árvores das matas, respeitando os trovões, a força devastadora dos raios e o fogo, que aquece, protege e purifica. Compreendemos que o ar é energia vital, o elemento vivificante da vida e oramos para que as ventanias, tufões e vendavais não destruam nossos acampamentos e tendas. Existe idéia enganosa de que tememos as águas do mar, o que é uma perfeita bobagem. Nós singramos os mares nos tempos das colonizações, inclusive a brasileira, em caravelas.
Segundo nosso conceito mágico da natureza reverenciamos as águas do mar e as deidades que nelas habitam, pois muitos trabalhos de magia são feitos nas areias do mar, para os ciganos as águas salgadas têm a função de fazer a limpeza energética de todos os seres do planeta que nele habitam. Reconhecemos nos elementos e nos elementais, uma força extraordinária, real e auxiliadora, tanto que nos trabalhos mágicos não deixamos de pedir permissão a eles, para a manipulação das energias da natureza.
Somos muito inteligentes para identificar as mensagens oriundas das forças naturais e tomarem seus cuidados e prevenções, somos meteorologistas natos não necessitando de instrumentos ou outras sofisticações para saber quando vai chegar uma tempestade, uma nevasca, ou um sol de rachar. Sabemos reconhecer quando há água por perto, ou se a viagem prosseguirá em terreno árido e seco. Pressentimos os perigos das selvas, das matas pelos movimentos dos animais, pela revoada dos pássaros e outros sons peculiares da natureza.
É sábio saber ouvir a natureza, convivendo com ela pacífica e respeitosamente, e nisto o povo cigano é mestre. O convívio harmonioso, que de certa forma podemos dizer que um cigano é mais uma das manifestações da natureza. Por isso a Vida Cigana é mágica. E por isso podemos manipular energias que é o ato de evocar poderes e mistérios divinos e colocá-los em ação, beneficiando-nos ou aos nossos semelhantes. A magia está no ato de colocarmos amor em tudo que fazemos, quando cozinhamos, falamos, costuramos, estudamos, trabalhamos etc...É isso que torna o praticante da magia verdadeiramente divino.

O TERCEIRO PASSO:
Passo do Medium ou em romani: “MEDINORE”
(CONHECIMENTO DOS TIPOS DE MEDIUNIDADE)
A mediunidade é a capacidade de comunicação com entidades não-fisicas ou espirituais. Os chamados médiuns são pessoas que tem a capacidade de mediunidade, ou seja, a capacidade de ser uma ponte entre este mundo, (o mundo dos vivos, o mundo físico), e o mundo espiritual, (o mundo dos espíritos). Hoje em dia chamados médiuns pelas doutrinas espíritas, foram noutros tempos chamados videntes ou foram sacerdotes em templos dedicados a religiosidade de varias linhas de espiritualidade. Os tipos mais conhecidos de manifestação mediúnica são: Médiuns de efeitos físicos, médiuns de efeitos mentais e os médiuns de efeitos oníricos. O médium de efeitos físicos, tem a capacidade de deixar uma entidade espiritual entrar dentro do seu corpo, sendo que essa entidade ocupa e toma conta do mesmo corpo.
A esse fenômeno alguns chamam incorporação, mas na verdade trata-se de uma forma de possessão. O fenômeno por vezes pode ser acompanhado pela leve perda de consciência, que perde o auto-controle, ou seja, deixa de conseguir ter domínio sobre o seu próprio corpo e a sua própria mente, que ficam dessa forma sob o poder da entidade espiritual que possuiu. Assim, depois de terminar, esse tipo de médium quando realmente esta, passivo no trabalho, raramente se lembra do que se passou enquanto esteve com a entidade espiritual. A todo este estado chama-se transe.
O médium de efeitos mentais tem a capacidade de comunicar com os espíritos, contudo sem entrar em transe. Nestes casos o trabalho de comunicação do médium pelo espírito é menos intensa. O espírito fala igualmente através do corpo do médium, contudo o médium mantém perfeita lucidez e consciência durante todo o processo. Nesta forma de comunicação com os espíritos, o médium acaba fazendo uso de certos recursos materiais que permitem a transmissão das mensagens que o espírito deseja transmitir: desde pêndulos, cartas, oráculos diversos e psicografia, etc.
Há por ultimo o médium onírico, pois também a mediunidade pode ser exercida através de mensagens facultadas através de sonhos ou visões noturnas. A todo este tipo de praticas mediúnicas, denomina-se mediunidade onírica. Neste tipo de mediunidade, a pessoa recebe as mensagens de forma mental, contudo não se encontra em total consciência de si mesmo porquanto se encontra dormindo ou num estado alterado de consciência. E por ser assim, este tipo de mediunidade é em parte física e em parte mental, pelo que merece uma referencia distinta.
O Exercício da Vidência, é a capacidade de receber mensagens do mundo espiritual com cunho de poder predizer sobre as questões intimas do consulente. Esta capacidade mediúnica tem que ser muito cautelosa de parte do médium que esta a trabalhar. Tanto que no Novo Testamento se lêem mais referencias a este fenômeno, quando se observa que apos a morte e ressurreição de Jesus, os apóstolos foram possuídos pelo Espírito Santo e começam assim a falar línguas e a transmitir grandes mensagens de sabedoria. Segundo os textos sagrados, não eram os profetas que falavam por si, mas sim o espírito que os possuiu que falava pela boca deles. E nós ciganos ao longo dos tempos, sofremos muitas perseguições das autoridades eclesiásticas que desenvolveram leis para manter o máximo silencio sobre tais trabalhos mediúnicos, e mesmo para impedir, (pelo medo), que a espiritualidade dos ciganos fosse livremente exercida.
E todo esse esforço resultou numa busca de trabalhos lídimos, que embora fossem perseguidos, eram (e são) feitos com muito amor. Tais conotações negativas entre as praticas espirituais de contato com os espíritos foram lançadas especialmente impedir que as pessoas exercessem as artes místicas e praticassem livremente, fora do controle eclesiástico, as vias da espiritualidade. A dado momento, a instituição religiosa quis deter o monopólio sobre toda a atividade espiritual, alegando que apenas nela residia a capacidade de comungar e comunicar com a realidade espiritual.
O teor exclusivo do mundo espiritual parecia ser propriedade da Santa Madre Igreja, e tudo mais fora desse feudo teológico era pecaminoso e levava á condenação eterna.
Estes foram os argumentos, e esta foi a inútil tentativa de tentar apoderar-se de algo que é tão eterno com a criação do universo, e que é a realidade espiritual, ainda mais para este povo que durante tantos anos utilizou somente os fenômenos naturais como bússola. No entanto, apesar dos esforços de certas autoridades religiosas, os espíritos não pararam de escolher os seus emissários neste mundo e a ligação entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos mantém hoje tão firme e poderosa como sempre foi ao longo de toda a existência.

O QUARTO PASSO:
Passo do Trabalhador ou em romani: “ARBÍTERO”
(CONSCIENCIA DO TRABALHO SACERDOTAL)
A magia dos ciganos é direta e objetiva. Apesar de tudo o que possa ter ouvido, a magia não é algo sobrenatural, não natural ou mesmo alienígena. Ela está em nossos próprios quintais, em nossas casas; em nossas tendas e acampamentos, na própria essência de nosso povo. Um dos maiores mistérios da magia é que não há mistérios. Pelo contrário, eles estão constantemente se revelando ao nosso redor.
O estudo de um simples botão de rosa, de uma folha de grama ou do sopro do vento por meio das folhas de uma árvore revelará tanto quanto, senão mais, sobre a verdadeira natureza da magia do que uma centena de empoeirados tomos. Isso é o que chamamos sacerdócio. Porque afinal não somos ciganos e magos, quando estamos realizando magias, atendendo aos nossos consulentes e clientes. E sim o tempo todo, quando em casa, no nosso tempo livre, quando nos locomovendo, quando rimos, falamos, tomamos chá, estamos sempre exercendo nosso sacerdócio.
É um caminho em que se descansa carregando pedra e a natureza, com seus poderes, através de suas manifestações, é que fazem com que nos possamos exercer a alegria de sermos magos, iniciados, sacerdotes, de uma magia impar e linda como a magia cigana. Algumas dessas manifestações, como os espelhos, são artificialmente produzidas, mas estão ligadas e conectadas aos poderes da Natureza por intermédio de seu simbolismo e pelo material de que é feito (de areia). Em nossa era cada vez mais automatizada, muitas pessoas se encontram sem conseguir ver, nem sentir toda a natureza que sustenta e mantém nossas próprias vidas.
A verdadeira dependência que temos da Terra está esquecida. Muitos estão rompendo suas conexões com o natural. Como resultado, este é um período de grande agitação, tanto nos planos individuais espirituais, quanto nos planos sublimados da magia. O sacerdócio pode ajudar a descobrir, trabalhar e resolver muitas das pequenas crises e problemas que nos afligem atualmente enquanto indivíduos.
Certamente não é uma solução simples para os problemas do mundo, mas pode trazer ordem a nossas vidas, e isso já é um bom começo. O sacerdócio é difícil e prazeroso, tanto quanto é útil quando traz tais mudanças a nossas vidas e, dessa forma, à própria vida, e tais mudanças devem ser positivas. O objetivo de todo sacerdote, trilha ocultas e místicos estudos e vivencias é o caminho do processo evolutivo para a perfeição da alma. Embora isto possa não ser obtido em uma vida, é perfeitamente possível que melhoremos a nós mesmos.
Este ato singular já faz com que o sacerdócio se torne muito mais leve. Se praticar qualquer magia, seja ao desenhar um coração na areia, contemplar um espelho para antever o futuro, seja para atar um nó para auxiliar um amigo com problemas, tenha em mente os mais elevados aspectos de seus trabalhos. Você está melhorando o mundo e ajudando a curá-lo das terríveis mazelas que existe.

O QUINTO PASSO:
Passo do Estudante ou em romani: “CONSULEIRO”
(ESTUDOS SOBRE ESPIRITUALIDADE E NOSSAS POSTURAS)
Quando estamos falando de iniciatica, de ritos e de manipulação de magia cigana, devemos ter em mente que devemos ter um juramento de honra, e isso não quer dizer que devemos respeitar (claro) ou isso e aquilo, mas devemos primeiramente respeitar o nosso corpo, porque para estar atendendo, necessitamos estar bem fisicamente, astralmente e emocionalmente, devemos jurar a nos mesmos que teremos varias diretrizes que seguiremos, para poder fazer um trabalho lidimo, ilibado e serio para ser bom para nos mesmos, para os consulentes e também deve ser pelo amor que temos aos nossos amigos espirituais.
Aprendi que assim como não devemos bloquear as águas de um rio, não devemos bloquear nossas emoções, mas sim fazer com que elas fluam harmoniosamente como às margens de um rio? O que acontece quando bloqueamos nossas emoções? Quando não estamos bem, por qualquer motivo, sentimos uma sombra escura, e somos arrastados à medos, depressões, desesperanças.
Busca-se a felicidade, mas, para alguns, ela é sempre temporária, não dura. As crises pessoais ocorrem quando percebemos a inutilidade de um velho padrão, mas continuamos insistentemente apegados a ele, porque nos é mais seguro e familiar. Para isso precisamos de algo verdadeiro, simples e eficiente, para poder atravessar as águas das emoções que acompanham as transformações, e o crescimento que advém das crises pessoais. Precisamos estar conscientes que na medida da expansão da consciência, velhas estruturas tendem a cair.
O modo antigo vai se disolvendo, tomamos medidas para entorpecer nosso sofrimento, criamos ilusões. A raiva é a lembranças da dor passada e revisitada. A irritação produz uma substância que se espalha vagarosamente pelo nosso sistema nervoso, interrompe canais elétricos, contamina a aura. O medo é a dor da lembranças projetada no futuro. Vivemos num mundo com um fluxo invisível de águas de sentimentos. E, as vezes somos inundados pelas ondas das experiências vividas no passado, e quem sabe em outras vidas. Não há como evitar os sentimentos, somos seres humanos.
Há como passar por eles e aprender com suas lições. Negar ou evitar os sentimentos, os intensificam, eles crescem e se tornam maiores na nossa vivência. Aceitar, é reafirmar que estamos prontos para acompanhar e transpor o sentimento de imediato, de maneira que podemos aprender, e crescer na jornada. Nos povos primitivos e nas sociedades contemporâneas, o medo, embora negado, sempre esteve presente na alma humana, e levou a história a tomar o poder de decisão é o poder pessoal que poderá fazer isto. Para caminhar na beleza e amor, para você seguir o caminho do seu coração e tocar em sua própria verdade conscientemente. O corpo emocional é um veículo mais móvel do que o físico ou energias corporais, e é também capaz de sentir vibrações que o físico ou energia corporal é inábil para perceber.
O corpo emocional é capaz de converter pensamentos em sentimentos e vice-e-versa. Como a água, ela pode ser agitada e tornar-se sombria e fora de controle. Nessa condição ela pode debilitar, ser destrutiva e confusa. Como a água, ela pode estourar na tempestade, afetando tudo no seu caminho, sem que possa ser controlada. Ou nós controlamos nossas emoções e as dirigimos, ou ela nos controla.

O SEXTO PASSO:
Passo do Magista ou em romani: “CHANCHY”
(POSTURAS DO MAGISTA)
Dois tipos de magia são discriminados pelos estudiosos de todas as épocas: a Alta Magia e a Baixa Magia. Jamais devem ser confundidas com magia negra ou magia branca, que se tratam de tipos de magia arbitrariamente designados como tal pela idiossincrasia da moral de quem as trata assim. A Baixa Magia seria a magia de cunho terrestre, geralmente pagã (na acepção etimológica original da palavra: "do campo" e não como posteriormente adotada "não cristão") é baseada no desregramento dos sentidos. É baseada na carne, na terra, no suor, no sangue. É o tipo de ritual praticado pelas tribos ditas "primitivas" e pelos cultos afro-americanos em geral.
A Alta Magia seria a magia do controle, a magia do domínio da realidade pelo homem. É um tipo de magia intelectualizada e fria, baseada no "puro espírito", ou melhor, na separação platônica da carne e do espírito. O Mago escraviza entidades, ordena coisas, e para tal tem que ser controlado tanto por dentro quanto por fora. Geralmente se atribui uma organização social matriarcal a este período, mas esta idéia é historicamente incorreta.
A organização era tribal ou em clãs, em geral patriarcais mesmo. (Algumas sociedades já tinham até um estado semelhante ao moderno, mas baseado em dinastias, como o Egito. E é basicamente o que conhecemos por cristianismo, feudalismo, patriarcado, exploração indômita da terra, organização rígida, medo como método de coerção social, "progresso" científico, absolutismo, etc. O mundo está mais unificado e age mais em conjunto, apesar das diferenças. As pessoas jovens são essencialmente não religiosas e adogmáticas. Isso é visto como catástrofe por muitos. Na verdade qualquer transformação é dolorosa, mas não podemos ser pupas para sempre. A religião do futuro ou é a ausência de religião ou uma religião individualizada.
As pessoas não precisam mais serem aceitas em seu grupo social para sobreviverem, como antigamente. As pessoas não dependem mais dos filhos para comerem, portanto não precisam de muitos filhos. Controlamos nossa fertilidade. Informação é o poder do Mago moderno, que não trabalha nem com a pena tampouco com a espada, trabalha com o teclado, à velocidade da luz.
O mago não trabalha na inocência, trabalha no Caos. E que fique entendido que isso não é evolução, progresso, melhoria. É transformação, como da pupa para borboleta ou de ser vivo para cadáver putrefato.
A Magia cigana é ritualista. Ou seja, os efeitos mágicos são obtidos através de rituais, ou amuletos e talismãs, os quais são criados por outros rituais. A Magia também muitas vezes depende de produtos místicos secretos, cujas as propriedades são desconhecidas mas que operam fatos sobrenaturais. Os rituais são necessários para focalizar o nosso poder espiritual e concentrar forças para que efeitos desejados possam ser obtidos. Apenas os iniciados na magia, seguem os que já são mestres e que podem prescindir dos rituais, mas mestres preferem “colocar a mão” na magia, para proteger seus seguidores. Existe um número ilimitado de ritos mágicos possíveis. Ao longo dos séculos, em várias partes do mundo, os ciganos sempre tentaram produzir os mesmos resultados. Embora as características dos rituais realizados variem de culto para culto, de acordo com a cultura em que o feiticeiro se encontra inserido, os objetivos da magia são universais e pode-se definir muito sinteticamente. Todos os rituais e processos mágicos visam, usando o poder, invocar forças espirituais que façam produzir um certo fim aparentemente impossível de obter por meios normais. E esses fins, independentemente das culturas variarem, são sempre os mesmos.
Pois a magia nessa perspectiva obedece ao mesmo princípio. Se a tecnologia não tivesse permitido construir computadores e uma rede de Internet que funcionasse, hoje ninguém estaria sentado diante de um teclado por mero masoquismo ou por pura fé…. Simplesmente ninguém usaria uma coisa que não funciona. E os tipos de ritos mágicos mais utilizados pelos ciganos são:
Magia adivinhatoria, que na verdade é Divinatório, pois evoca-se uma entidade para poder se oracular as questões do consulente, conhecer o passado, o presente e futuro que poderá concretizar-se mediante as opções de cada pessoa.
Magia da Mão de Cura - fazer curar ou fazer adoecer.
Magia natural - fazer chover, parar o tempo, evocar o dia em que foi feita a magia que aflige o cliente, etc..
Magia Emocional - aterrorizar alguém, fazer alguém afastar-se ou apaixonar-se.
Magia mental - controlar mentalmente uma pessoa, manipulando-lhe os pensamentos, ou fazendo uma leitura mental dessa pessoa para saber os seus pensamentos.
Magia sensorial - criar miragens ou ilusões – não confundir a criação de miragens com o ilusionismo, que é o ramo mais baixo e básico desta vertente da magia, sendo apenas um conjunto de técnicas mecânicas sem qualquer segredo verdadeiramente.
Magia astral – realizar viagens astrais, conectar com entidades através de sonhos que parecem reais.
Magia Sintônica - alcançar a sorte ou fazer o azar, assim como a leitura das simbologias daquilo a que chamamos de «coincidências», mas que na realidade não o são porque tais não existem.
Magia de predição – sugestionar um determinado rumo de vida, também pode ser usada para unir ou afastar pessoas, para ajudar ou prejudicar, para salvar ou condenar. Vai da índole do magista.

O SÉTIMO PASSO:
Passo do Professor ou em romani: “BALTIC”
(RITOS INICIATICOS – SEGREDOS DE KUMPANIA)
Para começo de conversa eu vou dizer: ‘Gente, eu só sei metade de 1%, do que existe no universo”. Quero parecer humilde? Não, asseguro que não. A pessoa espiritualista vai ter, até algumas certezas ao longo do caminho, mais não de tudo. O universo espiritual é tão vasto e tão belo, que pode algumas vezes nos dar impressão de que esta nos punindo (quando algo, na nossa magia, manipulada ou interior) não sai como a gente quer, quando a gente exerce o querer do ego. Somos humanos diremos. E é a verdade. Somos humanos, imediatistas, apressados, o amor de nossa vida indo embora.
As contas que não param de chegar. eles vivem lá em cima diremos. E é verdade. Só que o tempo dos espíritos e as necessidades são outras, diferentes das nossas. A religiosidade que em geral que não tem um codificador, cria embaraços e questionamentos. Muitos médiuns, por não saber, por encontrarem dentro de si a certeza, do que “É O CERTO”, entram em conflito com varias outras linhas de espiritualidade. E até mesmo dentro da mesma linha. Conosco, na vida Cigana Espiritual, não é diferente. Ao longo dos meus anos de vida e de trabalho espiritual, posso dizer que já vi de tudo um pouco. E as questões da vida pratica, são as primeiras a serem abordadas. Estou desempregada dirá um consulente, porque o cigano não me ajuda? Ou ainda, eu o amo, quero amarrar a pessoa amada. Ou até, se eu tiver ajuda para ganhar na mega sena, eu dou tudo para este cigano. Repito. Eles vivem lá em cima. Cada caso é um caso, com suas características, seus ensinamentos, sua real necessidade.
Desemprego existe desde que o mundo é mundo. Tem de se avaliar os melhores caminhos na luz da razão. Amarração? Faça o teste, amarre suas mãos durante um dia inteiro, e veja a sensação, não será agradável, eu garanto. Então porque não começar a ver de outro anglo? Se dar oportunidades de conhecer novas pessoas? Se amar antes de tudo? Na questão do jogo, o que será que um espírito necessita que ele já não tem? Este dinheiro trará tudo o que a pessoa quer???? Pense nisso. Não se adoente. Se liberte. E ai dirão vocês, porque a Ramona esta falando isso tudo? Porque quando estamos enganados, sem certeza ou com a visão fechada (certeza demais) com algo, surgem as duvidas. E na linha da espiritualidade dos ciganos não é diferente. Espiritualidade é amor. Este é o laço mais forte. As diretrizes podem ser diferentes, mas não pode faltar amor.
Nas linhas iniciaticas da magia dos ciganos, tem muito folclore, muita coisa se diz sem sentido. Eu só posso lhes garantir, não carregamos cacarecos e nem fazemos nada que não tenha utilidade, isso tanto para a vida material quanto espiritual. Até por termos sido um povo tão fechado nas questões espirituais, deu margem ao imaginário coletivo. Algumas questões são clássicas, como a questão da incorporação, existe a corrente dos que dizem não, existe a corrente que diz sim.
Porque os espíritos ciganos como tantos outros, não podem incorporar, buscando junto ao médium um caminho evolutivo para ambos? É minha gente é por isso que nesta hora eu digo: “Gente eu só sei metade de 1% do que existe no universo”. Eu particularmente creio. E não digam que os espíritos que se manifestam tem que falar com a língua materna da entidade. Isso é impossível, ate mesmo porque estes espíritos estão bem acima destas questões de vaidades terrenas.
E digo que também as linhas iniciaticas, podem e devem ser diferentes, pois tudo o que passamos, começa na ancestralidade, na bagagem emocional que a pessoa tem. Então a iniciação dos ciganos evorianos, não será igual a uma moura, indiana e nem francesa. Cada uma terá pontos em comum, terá a beleza impar, terá a compreensão e sobretudo o amor pela raça cigana.
O OITAVO PASSO:
Passo do Graduado ou em romani: “SALUTERYA”
(RITOS PACTUANTES)

Nós ciganos respeitamos e nos irmanamos com outros espiritualistas, mas nossa iniciatica é diferente. Nunca trabalhe após as refeições, e no dia dos feitiços, procure não comer carne ou ingerir bebidas alcoólicas. Evite qualquer tipo de droga ou calmante e tome somente os remédios estritamente necessários. Nunca faça um feitiço quando estiver esgotada fisicamente ou doente, a não ser numa emergência.
Um ritual pode consumir muito mais energia do que um aula de aeróbica ou uma partida de futebol. Portanto não seja como certas pessoas espiritualistas, que descuidam do corpo, e depois querem manipular elementos mágicos. Prefira alimentos naturais, tome vitaminas e pratique algum esporte. Nunca esqueça se proteger, acenda o seu anjo de guarda quando for realizar uma magia.
Chame os espíritos para lhe auxiliar. Tome um banho antes do ritual de preferência de ervas e procure determinar exatamente o que será feito para que não haja dúvidas durante a execução do ritual. Você deve colocar pelo menos algum símbolo para os quatro elementos, um incenso apropriado, o cristal adequado, uma vela bonita e uma taça com água. O fogo deverá ser o foco da sua concentração.
O sucesso de uma magia depende muito mais da sua concentração do que os materiais utilizados. A força da emoção e da vontade é essencial para que se consiga bons resultados. Todos os pedidos devem ser verbalizados repetidamente. Para se fazer uma magia é importante ter quatro itens: desejo, concentração e visualização. A nossa integração com a natureza é permanente, obrigatória sob um ponto de vista imprescindível sob outro. Dizemos que é obrigatória, pois a essência de nossa alma nômade, nossas kumpanias muitas vezes são realizadas na base do que a localidade nos oferece, coisa que só ficamos sabendo através dos sinais mágicos, que o mundo natural nos dá. Nossa necessidade de estar a céu aberto, “dentro” da natureza, tudo muito próximo a rios, cachoeiras ou outros remansos de água – doce , de que sao utilizados para cozinhar, lavar as roupas, nos banhar.
Por esses fatos e pelos conseqüentes de uma maneira de viver nômade, é bastante fácil compreender a obrigatoriedade do convívio entre os romanis e a natureza. A natureza é a generosa doadora da própria sobrevivência cigana. Todavia, não entendemos a natureza somente como a doadora dos elementos fundamentais como alimentos e água, mas como fonte inesgotável de energia. Aí começa o lado mágico da natureza cigana por assim dizer, o fundamento etéreo da vida, o lado abstrato muitas vezes não compreendido racionalmente por nós.
Entendemos em vários aspectos, que a natureza é que fornece a vitalidade, o frescor da vida renovada a cada dia do ponto de vista da troca energética. Do céu, dos astros do firmamento, do Sol, da Lua em suas diferentes fases, desce a energia positiva de Deus, a força divina mantém o homem em pé, apto ao trabalho, às caminhadas, a geração de filhos e a todos os tipos de alegrias, sensações, emoções e sentimentos. A terra, o solo onde pisam propositalmente sem sapatos é a Terra, que recebe sem recusas e sempre aberta a todas as energias negativas, os temores, as angústias de um povo tantas vezes perseguido, as tristezas e os desconsolos que maltratam a alma e o coração.
O NONO PASSO:
Passo do Espelhado ou em romani: “DRARBANI”
(RITOS DA CONSCIENCIA DO PODER)

É sábio saber ouvir a natureza, convivendo com ela pacífica e respeitosamente, e nisto o povo cigano é mestre. O convívio harmonioso, que de certa forma podemos dizer que um cigano é mais uma das manifestações da Mãe Natureza. Por isso a Vida Cigana é mágica.
E por isso podemos manipular energias que é o ato de evocar poderes e mistérios divinos e colocá-los em ação, beneficiando-nos ou aos nossos semelhantes. A magia está no ato de colocarmos amor em tudo que fazemos, quando cozinhamos, falamos, costuramos, estudamos, trabalhamos etc...É isso que torna o praticante da magia verdadeiramente divino. A Magia cigana é ritualista. Ou seja, os efeitos mágicos são obtidos através de rituais, ou amuletos e talismãs, os quais são criados por outros rituais.
A Magia também muitas vezes depende de produtos místicos secretos, cujas as propriedades são desconhecidas mas que operam fatos sobrenaturais. Os rituais são necessários para focalizar o nosso poder espiritual e concentrar forças para que efeitos desejados possam ser obtidos. Apenas os iniciados na magia, seguem os que já são mestres e que podem prescindir dos rituais, mas mestres preferem “colocar a mão” na magia, para proteger seus seguidores. Existe um número ilimitado de ritos mágicos possíveis. Ao longo dos séculos, em várias partes do mundo, os ciganos sempre tentaram produzir os mesmos resultados.
Embora as características dos rituais realizados variem de culto para culto, de acordo com a cultura em que o feiticeiro se encontra inserido, os objetivos da magia são universais e pode-se definir muito sinteticamente. Todos os rituais e processos mágicos visam, usando o poder, invocar forças espirituais que façam produzir um certo fim aparentemente impossível de obter por meios normais. E esses fins, independentemente das culturas variarem, são sempre os mesmos. Pois a magia nessa perspectiva obedece ao mesmo princípio.
Se a tecnologia não tivesse permitido construir computadores e uma rede de Internet que funcionasse, hoje ninguém estaria sentado diante de um teclado por mero masoquismo ou por pura fé…. Simplesmente ninguém usaria uma coisa que não funciona.

O DÉCIMO PASSO:
Passo do Compromisso ou em romani: “FARDISARA”
(RITOS ASSUMIDOS NO VESTAL DA EXISTENCIA)

Ela está em nossos próprios quintais, em nossas casas; em nossas tendas e acampamentos, na própria essência de nosso povo. Um dos maiores mistérios da magia é que não há mistérios. Pelo contrário, eles estão constantemente se revelando ao nosso redor. O estudo de um simples botão de rosa, de uma folha de grama ou do sopro do vento por meio das folhas de uma árvore revelará tanto quanto, senão mais, sobre a verdadeira natureza da magia do que uma centena de empoeirados tomos.
Isso é o que chamamos sacerdócio. Porque afinal não somos ciganos e magos, quando estamos realizando magias, atendendo aos nossos consulentes e clientes. E sim o tempo todo, quando em casa, no nosso tempo livre, quando nos locomovendo, quando rimos, falamos, tomamos chá, estamos sempre exercendo nosso sacerdócio. É um caminho em que se descansa carregando pedra e a natureza, com seus poderes, através de suas manifestações, é que fazem com que nos possamos exercer a alegria de sermos magos, iniciados, sacerdotes, de uma magia impar e linda como a magia cigana.
Algumas dessas manifestações, como os espelhos, são artificialmente produzidas, mas estão ligadas e conectadas aos poderes da Natureza por intermédio de seu simbolismo e pelo material de que é feito (de areia). Em nossa era cada vez mais automatizada, muitas pessoas se encontram sem conseguir ver, nem sentir toda a natureza que sustenta e mantém nossas próprias vidas. A verdadeira dependência que temos da Terra está esquecida. Muitos estão rompendo suas conexões com o natural. Como resultado, este é um período de grande agitação, tanto nos planos individuais espirituais, quanto nos planos sublimados da magia.
O sacerdócio pode ajudar a descobrir, trabalhar e resolver muitas das pequenas crises e problemas que nos afligem atualmente enquanto indivíduos. Certamente não é uma solução simples para os problemas do mundo, mas pode trazer ordem a nossas vidas, e isso já é um bom começo. O sacerdócio é difícil e prazeroso, tanto quanto é útil quando traz tais mudanças a nossas vidas e, dessa forma, à própria vida, e tais mudanças devem ser positivas. O objetivo de todo sacerdote, trilha ocultas e místicos estudos e vivencias é o caminho do processo evolutivo para a perfeição da alma. Embora isto possa não ser obtido em uma vida, é perfeitamente possível que melhoremos a nós mesmos.
Este ato singular já faz com que o sacerdócio se torne muito mais leve. Se praticar qualquer magia, seja ao desenhar um coração na areia, contemplar um espelho para antever o futuro, seja para atar um nó para auxiliar um amigo com problemas, tenha em mente os mais elevados aspectos de seus trabalhos. Você está melhorando o mundo e ajudando a curá-lo das terríveis mazelas que existe.

O DÉCIMO PRIMEIRO PASSO:
Passo do Orientador ou em romani: “MOTSAU”
(RITOS QUE AUTORIZAM A MOSTRA DA DIREÇÃO)

Para começar falando de Ritos, tenho que falar do que significa para os ciganos, a palavra “Ritual”. Para os zíngaros não é só o ato de realizar atos sagrados e religiosos. É muito mais. É algo vital, pois todo rito gitano tem fundamento único, tem poder, tem magia, tem uma mística única. Cada ritual que realizamos nos diz do poder de Dieula, vindo até nós.
É a Liturgia Mágica da prática da comunhão com os seres vivos e inanimados (não mortos), com os astros, as estrelas e a força sutil que impregna o planeta.
Temos vários tipos de Rituais, cada um para uma finalidade específica. Nos preocupamos com estas cerimônias, pois delas saem a força sutil que nos eleva ao poder da terra astral. Para realizar estes rituais temos um código ético próprio. Pois quando falamos de magias, de feitiços, é próprio da essência do homem pensar ou imaginar que tudo podemos resolver à base de magia e isto não é verdade. A carga cármica que nos foi impregnada, conforme os desígnios de Dieula, são parte da história da cada indivíduo, e ainda que tenhamos um grande livre arbítrio, o que foi desenhado no caderno de nossa vida, teremos de passar. Aí é que entra a postura que cada um pode ter. Utilizar magias para o bem viver? Sim e por que não?
Temos de pesar que este sim e este bem viver, só pode ter propósitos positivos, sempre muito positivos. Este “Sim”, “Bem Viver” e “Propósitos Positivos”, são passiveis de melhorar através da magia desde que seja realmente para o bem de todos os envolvidos. E que saibamos discernir a nossa vontade do que pode até não ser o que queremos, mas sim o melhor para nós. Por todos estes motivos trabalhar com magia é tão difícil. Por isso os ciganos preferiram até os dias atuais pouco revelar dos ritos mágicos que fazemos. Mas considerando que os ritos descritos são abrangentes nos assuntos que nos são muito caros, é errado que permaneça restrito à Casta Zíngara, ou aos privilegiados. Os rituais de magia cigana tem poder, baseado no maior poder do planeta. A natureza que Deus criou, juntamente com o Cosmos, fazem naturalmente a transparência do poder divino, é o rito que entramos em contato abrangendo tudo. Os ritos de magia, são atos sagrados, de grande fundamento e poder, que agora estará bem ao alcance da mão de quem precisa. Estará ao alcance de quem respeita e acredita. Já que estamos intercambiando com forças naturais do universo, é acertada a decisão de revelar segredos místicos da cultura români, porque como já diz o Cigano Ramiro “Tudo que é oculto deverá ser revelado”.

O DÉCIMO SEGUNDO PASSO:
Passo do Responsavel ou em romani: “DIESMAZ”
(RITOS DE AUTONOMIA DAS ARTES MAGICAS)

Para iniciar nossa conversa sobre os dogmas existentes na vida cigana espiritual, falar destes pontos fundamentais e indiscutíveis de nossa doutrina de religiosidade cigana, é impossível desassociar vida pratica, com vida espiritual. Porque o trabalho espiritual começa, na postura da vida pratica, inibindo a vida não lidima “casar” com a vida espiritual pura. Destes pontos, conceitos que falamos, todos são de profunda e indiscutível importância na religiosidade dos ciganos. Os dogmas a serem abordados são por vezes mal entendidos até pelos que tem vontade de realmente acertar no trato espiritual.
A vaidade, é um destes pontos que devemos abordar, sem adendos, sem dourar o ângulo que se vê. Vaidade é e sempre será prejudicial a qualquer tipo de vida espiritual, fazendo com que o médium se desvirtue, rapidamente e caia no buraco negro da perdição. Porque todos os tipos de vaidades, afastam do rumo certo. E começa a interferir, logo no inicio do trabalho quando nos “dispomos” ao espírito com aura não limpa. A concentração exigida ao trabalho, não somente na hora em que estamos no local onde acontecem as reuniões espirituais, ela começa a apresentar falhas preenchendo os buracos abertos pelos ícones da vaidade - ficar pensando no que as outras pessoas pensam de ti, pensar e acreditar que é um ser especial, trazer a publico – falar de sua mediunidade com um sofrimento disfarçado, porque na verdade quer dizer que não é uma pessoa comum, acreditar que tem poderes, preocupar-se em demasia com o visual – roupas, jóias, adereços/ que o “espírito”/você, vai usar, achar que a toda hora esta recebendo vibrações espirituais de patamares elevados, necessitar de adendos – fumo, bebida, coisas matérias – para o trabalho espiritual, explorar comercialmente o atendimento espiritual fora dos padrões permitidos e não repassar uma parte para caridade (geralmente 20% do valor), estimular dependência dos consulentes, aceitar presentes profanos (para você), fazer ou ensinar magias maléficas e uma serie de falhas de caráter, que temos que pesar com o bom senso e não ir por estes caminhos. Eles a primeira vista pareceram justos, mas não são, enquanto o médium pensa nestes pontos, não se concentra, e assim a comunicação trás pontos inverídicos, influenciando os consulente mais frágeis, crédulos e problemáticos.
A aceitação do trabalho mediúnico tem de ser total, sendo verdadeira e harmônica. A aceitação para ter forma integral, você tem que saber tudo a respeito do que é manipulado na magia da mediunidade, e este “saber” não pode ficar somente por conta do trabalho espiritual, não podemos ser passivos, temos que fazer a nossa parte indo a luta, estudando, perguntando, lendo, aprendendo, sobre todos os assuntos inerentes a espiritualidade em geral (cromoterapia, reiki, oráculos, kardecismo, astrologia, fitoterapia, angeologia, orixás, ciganos, mestres, etc.......), tudo que possa ser útil em sua caminhada de evolução, abrindo os canais intuitivos para que sejam utilizados em prol da seara de Cristo, da seara da caridade.
Esta aceitação quando falamos especificamente em Ciganos Espirituais, em linha pura ou em outras linhas, temos que adentrar nos caminhos da Vida Cigana e da Vida Gadjê. Porque são lidas totalmente diferentes e quando não entendemos sobre, podemos misturar os pontos de ação e fazer uma espiritualidade de lana caprina, insignificante, porque ela não estará calçada nos princípios e poderá sofrer influencias de qualquer espírito que venha a se passar por este ou aquele sem ser. Os princípios da Vida Cigana, devem ser trazidos à vida Gadjô, quando tratamos da espiritualidade cigana, digo, antes de começar qualquer rito com o povo das estradas, nesta dimensão de aprendizado, respeitar as regras da espiritualidade cigana, por mais dispensáveis que pareça.
Isto será o principio da mostra de lealdade do trato com os espíritos, a lealdade com os princípios fundamentais (independendo em que linha você esta), da caridade, amor, respeito, paciência, do compromisso astral, denota a sua caminhada na busca da elevação espiritual sem precisar fazer propaganda disto. Este é o verdadeiro respeito que temos pela religiosidade (nossa e das outras pessoas) e principalmente conosco, pois cada vez que cuidamos de tudo com respeito, amor e seriedade, denotamos um respeito pela estrada e pelo compromisso que “assinamos” bem antes de estarmos aqui.
Quando tratamos do assunto Kris Romani, no tocante ao trato com os espíritos, ela acontece quando não há consenso entre as partes. E a religiosidade ficar manchada nos casos de perdas de não seguimento de missões espirituais, de honra e coisas serias que marcam a jornada espiritual, como roubos, adultério, atos de violência física e condutas afins.

O DÉCIMO TERCEIRO PASSO:
Passo do Mago ou em romani: “Romaniva”
(RITO DO CHANCELAMENTO)

A Consagração é definido pelo dicionário como “consagrar formalmente a uma finalidade religiosa ou divina.”Consagração ou purificação deve ser feita para ter mais habilidade no trabalho mediunico. Os objetos pessoais são consagradas para uso pessoal, então a consagração deve ser feita pelo dono e adequadamente, e depois guardadas à disposiçao somente do dono.
A consagração é uma forma de purificação, e é feito com sal, com a água, com a vela e o incenso, que representam os cinco elementos da natureza, a água, a terra, o fogo, o ar e espírito. É importante que a consagração seja feita em um estado de espírito positivo, uma vez que este incorpora o “espírito” e parte dos elementos. Consagração é usado para ganhar o preparo necessario para o trabalho astral. Uma vez consagrado, seu caminho deve ser seguido sem interrupções, seu material estará programado por você e atenderá seu pedidos sempre que ativados, se assim for de seu merecimento. E a consagração geralmente é realizada uma vez só, por isso é importante ser bem elaborada a magia deste ritual.
Liberdade
Essa é a verdadeira função da consagração. A energia já está se elevando. Eu peço a todos vocês que estão aí para que estendam suas mãos para cá, doem toda a energia, mandem a energia, participem. O Amor é a energia que resgata o coração e resgata a alma, a maior força que o Homem detém na Terra. O Amor congrega a paz que vem do coração. Quando alguém recebe uma consagração, está recebendo a Energia de Deus, representada nos quatro elementos, mais a força do Espírito, que ilumina e transforma a vida da Terra, na peregrinação da evolução, trazendo, pela congregação de Espíritos de todas as ordens, de todas as esferas, o canal que indica a todos a direção certa, o caminho certo para a existência terrena.
O Caminho Iniciatico - Agir como Cigano
O Batismo Cigano foi trazido por João Batista. Ele simplesmente tinha o nome de João, não possuía segundo nome, senão o nome dos pais. Quando João Batista tomou conhecimento da ordem espiritual para que todos recebessem, pela água, a unção dos Espíritos foi porque, entre os elementos da natureza, a água é o mais forte e necessário a sobrevivência dos Homens na Terra. E utilizar-se da energia pelo Espírito traz a todos proteção de Deus.
A iniciatica traz a presença dos Espíritos na vida daqueles que são batizados, pois transforma a alma, renova os destinos e traz com clareza os desígnios de Deus, traçados no caminho do Espírito peregrino da Terra. Os Ciganos trazem o lado espiritual da vida a todos os filhos, irmãos e apadrinhados, e a proteção se estende por toda essa geração.
Os que recebem a consagração cigana a partir de hoje vão começar a agir como cigano: um cigano não mente; um cigano não trai um cigano, pois vive a solidariedade, a fraternidade; um cigano é temente ao Cristo, que é Jesus; tem como padroeira Sara Kali. Em cada lar cigano, há um altar dedicado ao Cristo e à Sara Kali, para representar a iluminação do Espírito em suas casas.
Os que são consagrados por nós não podem mais viver desordenadamente, porque o espírito liberto do cigano não trai, não rouba e nem tira a esperança de ninguém. Um cigano verdadeiro cultiva a lealdade, cultiva a família, cultiva a fraternidade. Um cigano nunca tranca a porta para outro cigano: sua casa é a casa de todos, sua família é a família de todos. O carimbo do amor vai lhes trazer a paz, a prosperidade e a harmonia, principalmente na sua família.
Só agindo assim, vocês se tornarão ciganos libertos de toda miséria humana, miséria de sentimentos, miséria de alma, miséria de bens materiais, miséria de amor. Terão amor por todos, alegria para todos, porque nós não cultivamos a tristeza, não cultivamos a morte. Cigano cultiva a vida e a alegria, a família e o amor. Os ciganos são assim: falam o que tem de falar, mas não guardam mágoa de ninguém. Cigano é assim, liberto! Cigano gosta da verdade, do amor, gosta das coisas bem arrumadas.
Participar de um clã cigano, de uma família cigana, é sentir a liberdade de Espírito. Cigano na alma, cigano liberto, cigano esclarecido é quem conhece a Verdade e nada teme: não teme dificuldades, não teme a morte, não teme nada, porque sabe é a alma que resiste a tudo. A alma nunca fica doente, ela regenera-se e evolui, sendo uma oportunidade que vocês recebem para evolução, para aprender. Por isso, o Cristo se deixou batizar por João Batista, para que, na Humanidade, todos o conhecessem também pela força do batismo. Quem consegue seguir no caminho mediunico ate a consagração, recebe a força e o acompanhamento cigano por toda a vida.
Quem é iniciado como cigano, passa a viver como cigano. Nossa família na Terra só aumenta, o que para nós é uma honra muito grande, recebendo os novos irmaos e sempre conclamando o poder da videncia e do trabalho a ser feito.

Em breve falarei destes passos! Aguardem!